MAPEAMENTO DAS FRAGILIDADES POTENCIAL E EMERGENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO GUAVIRÁ, MARECHAL CÂNDIDO RONDON – PARANÁ

Anderson Sandro da Rocha, José Edézio da Cunha, Vanda Moreira Martins

Resumo


O mapeamento e a análise das fragilidades ambientais podem fornecer subsídios importantes para o entendimento e o monitoramento das condições físicas naturais nas mais diferentes formas de intervenção e degradação antrópica do ambiente. Isto ocorre porque esse tipo de estudo, ao permitir identificar as áreas de estabilidade e instabilidade ambiental, nos mais variados níveis e escalas, traz contribuições para a contenção e a prevenção de problemas socioambientais. Nesse sentido, o presente artigo tem como objetivo mapear os diferentes níveis de fragilidade potencial e emergente existentes na área do terço superior da bacia hidrográfica do Córrego Guavirá, localizado no Município de Marechal Cândido Rondon, região Oeste do Estado do Paraná. Para a obtenção das informações de fragilidade, foram elaboradas cartas temáticas de uso do solo, de declividade e de solo. A relação entre os dados possibilitou identificar índices baixos e médios de fragilidades naturais, evidenciados pelas favoráveis condições geomorfológicas e pedológicas e índices médios e altos de fragilidades emergentes, resultantes do uso e da ocupação inadequada da área de estudo.


Palavras-chave


Mapeamento; Fragilidade ambiental; Bacia hidrográfica.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Perspectiva Geográfica

 


e-ISSN: 1981-4801

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Marechal Cândido Rondon
Curso de Graduação e Pós-Graduação em Geografia
Rua Pernambuco, 1777 - Centro
Marechal Cândido Rondon – Paraná - CEP: 85960-000

| revista.pgeografica@unioeste.br |