Os trabalhadores paraguaios nas cidades fronteiriças do Brasil

Eric Gustavo Cardin

Resumo

O objetivo da pesquisa foi analisar a relação dos trabalhadores paraguaios com o
mercado de trabalho das cidades brasileiras que fazem fronteira com o Paraguai. Primeiramente, procuro diferenciar e definir trabalhadores migrantes de trabalhadores fronteiriços. Para tanto, utilizo informações produzidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e também dados derivados da pesquisa realizada nas cidades brasileiras de Foz do Iguaçu e Guaíra, vizinhas dos municípios paraguaios de Ciudad del Este e Salto do Guairá, respectivamente. Em um segundo momento, analiso os resultados das entrevistas semiestruturadas aplicadas aos trabalhadores paraguaios entre 2010 e 2015. O intuito das entrevistas foi observar o perfil dos entrevistados, suas carreiras, processos de inserção laboral, práticas de trabalho e os conflitos diários no trabalho. Em grande parte, a origem dos trabalhadores e suas famílias é rural. O baixo nível de educação também é destacado na maioria dos casos. No entanto, dois aspectos mereceram maior destaque: primeiro, a importância das redes sociais transnacionais na manutenção da dinâmica dos fluxos fronteiriços; e segundo, a observação da inserção desses trabalhadores paraguaios em práticas precárias de emprego nas cidades brasileiras. Essa situação permite problematizar os limites dos modelos de desenvolvimento adotados nas cidades fronteiriças, bem como a existência de uma divisão de trabalho entre os trabalhadores brasileiros e os paraguaios.

Palavras-chave

Fronteira; Trabalho; Mobilidade Trasfronteiriça

Texto completo:

PDF