Literatura, questões de gênero e sala de aula: análise retórico-discursiva e reflexão literária sobre o conto “A moça tecelã”

Renan Paulo Bini, Meyre dos Santos Andrade, Jaqueline Cerezoli

Resumo


Considerando-se a inexistência da neutralidade no que tange a formação dos diversos gêneros do discurso e, entendendo a literatura como expressão verossímil da subjetividade e da complexidade humana, sendo dotada de sentimentos e percepções humanas inferidas nas características dos personagens e, moldada pela história e pela ideologia; o presente estudo objetiva realizar análise retórico-discursiva do objeto simbólico “A Moça Tecelã”, de Marina Colasanti, realizando, a partir dele, a identificação de efeitos de sentido que foram e são provocados pela leitura. A partir do texto e, por meio de referencial teórico que fundamentará as análises, buscar-se-á, por meio da Análise do Discurso de vertente francesa, a identificação do contexto e de interdiscursos que influenciaram a tessitura do texto; e, por meio da Retórica, a identificação e análise da materialidade linguística da argumentação no conto. A partir das análises, objetiva-se a proposição do debate sobre Gênero em sala de aula, a partir de objetos simbólicos, como o em questão, com o intuito de provocar nos alunos reflexões sobre o papel da escrita feminina enquanto influenciadora de subversão de papéis socialmente impostos às mulheres, de quebra de paradigmas e de empoderamento.


Palavras-chave


Literatura; Análise do Discurso; Retórica; Gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Arte Retórica e Arte Poética. Ediouro: Rio de Janeiro, 1979.

BAKHTIN, M. (trad. LAHUD, Michel; VIEIRA, Yara Frateschi). Marxismo e Filosofia da linguagem. 11 ed. São Paulo, SP: Editora Hucitec, 2004.

_____. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo:Hucitec, 1998.

CAMARGO, W. A. A responsabilidade nas mensagens audiovisuais. In: COITO, R. F.; SOARES, A. S.Análise(s) do Discurso: gestos de interpretação em superfícies materiais. Cascavel, PR:Edunioeste,2012.

CAVALCANTE, A. M. M. ; TEDESCHI, A. T. A representação das mulheres nos contos das Mil e uma Noites na releitura de Nélida Pinõn. In: PINHEIRO, A. S.; CRUZ, A. D.; ALVES, L. K. (org.). Literatura e relações de gênero: vozes femininas nas Américas e outras fronteiras. Cascavel, PR: Edunioeste, 2016.

COLASANTI, M. _____. Biografia. 2012. Disponível em: Acesso em: 18 Nov. 2016.

COLASANTI, M. A moça tecelã. In: _____. Doze reis e a moça no labirinto do vento. 12.ed. São Paulo: Global, 2006, p. 10-14.

DUCROT, O. Princípios de semântica lingüística: dizer e não dizer. Cultrix: São Paulo, 1972.

GADET F.; HAROCHE, Cl.; HENRY, P.; PÊCHEUX, M. Nota sobre a questão da linguagem e do simbólico em psicologia. In: ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. 4. Ed.Campinas: Pontes Editores, 2014.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro, RJ: DP&A, 2006.

KLEIMAN, A. Texto e leitor. 8 ed. Campinas: Pontes, 2002.

KOCH, I. G. V. A Construção Sociocognitiva da Referência. In: MIRANDA, N. S.; NAME, M. (Org.). Linguística e cognição. Juiz de Fora:UFJF, 2005.

_____. A inter-ação pela linguagem. 8. ed. rev. e ampl. São Paulo: Contexto, 2003.

_____. Argumentação e Linguagem. Cortez: São Paulo, SP, 1984.

_____.; Elias, V. M. Escrever e argumentar. São Paulo: Contexto, 2016.

LOPES, E. Fundamentos da lingüística contemporânea. São Paulo: Cultrix, 1976.

MAINGUENEAU Dominique. Novas Tendências em Análise do Discurso. São Paulo, SP: Pontes, 1997.

MAINGUENEAU, D. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso, a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005.

MARCUSCHI, L. A. Compreensão textual como trabalho criativo. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Caderno de formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, p. 89-103, v. 11.

MOSCA, L. L. S. Velhas e Novas Retóricas: Convergências e desdobramentos. In: _____. (org.). Retóricas de ontem e de hoje. 2 ed. Humanitas: São Paulo, 2001.

MUZART, Z. L. Um romance emblemático de Júlia Lopes dealmeida. In: PINHEIRO, A. S.; CRUZ, A. D.; ALVES, L. K. (org.). Literatura e relações de gênero: vozes femininas nas Américas e outras fronteiras. Cascavel, PR: Edunioeste, 2016.

NAVARRO, M. H. Por uma voz autônoma: o papel da mulher na história e na ficção latino- americana contemporânea. In: __. Rompendo o silêncio. Porto Alegre, RS: Editora da UFRGS,1995.

OLIVEIRA, L. S. Gênesis: Contradiscursos. In: COITO, R. F.; SOARES, A. S. Análise(s) do Discurso: gestos de interpretação em superfícies materiais. Cascavel, PR: Edunioeste, 2012.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 11.ed. Campinas, SP:Pontes Editores, 2013.

PERELMAN, Ch.; Olbrechts-Tyteca, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

RAMOS, F. B.; MARANGONI, M. C. T. O que dizem as mulhes poetas no PNBE 2010?. In: PINHEIRO, A. S.; CRUZ, A. D.; ALVES, L. K. (org.). Literatura e relações de gênero: vozes femininas nas Américas e outras fronteiras. Cascavel, PR: Edunioeste, 2016.

SCOTT, J. Gênero, uma categoria útil de análise histórica. In: Educação e realidade.Porto Alegre, RS: 1995, v. 20, n. 2, p. 71-99.

SILVA, S.; OLIVEIRA, E. G.; CORDEIRO, I. C. Os Lugares Retóricos na Publicidade. In: SELLA, A. F.; BUSSE, S.; CORBARI, A. T. (Org.). Argumentação e Texto: Revisitando Conceitos, Propondo Análises. Campinas: Pontes Editores; Cascavel:Edunioeste, 2012.




Direitos autorais 2017 Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob CC-BY-NC-SA 4.0 que permite o compartilhamento do trabalho com indicação da autoria e publicação inicial nesta revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.