Considerações sobre a poética afrofeminina de Mel Adún: afetividade, erotismo, emancipação feminina e misticismo

Rangel Gomes Andrade, Adalberto Luis Vicente

Resumo

Mel Adún é uma jovem escritora negra que vem publicando seus escritos em jornais, blogs e, principalmente, na famosa revista Cadernos Negros, voltada para produção literária de escritores afro-brasileiros, na qual Adún já publicou contos e poemas. Este trabalho aborda a poesia de Mel Adún, com finalidade de analisar algumas das linhas de força que nos parecem centrais em seus poemas, enfatizando o potencial contestatório dessa poética por meio de alguns dos elementos que explora, tais como feminismo – e, mais especificamente, feminismo negro –, erotismo, norteado pela busca da autonomia do prazer feminino e pela emancipação sexual e social da mulher negra, além do diálogo sincrético que estabelece entre referências cristãs (em chave profana) e figuras e divindades do imaginário religioso de matriz africana. Para explorar essas linhas temáticas, utilizaremos como referencial teórico as reflexões e conceitos de Edmilson de Almeida Pereira (2010), Rogério Prandi (2010), Gaston Bachelard (1997), Giorgio Agamben (2007), Mircea Eliade (2010), para citar os nomes mais proeminentes.

Palavras-chave

Poesia Contemporânea; Poesia Negra; Feminismo

Texto completo:

PDF