Agrinho: um rizona em implantação nas escolas municipais de Terra Roxa

Simone Francisco dos Santos, Beatriz Helena Dal Molin

Resumo

O presente artigo versa sobre uma reflexão a respeito da necessidade de adequação dos métodos e técnicas de ensino voltadas a um novo perfil de aluno que faz parte do século XXI, no qual, a presença da tecnologia, a transdisciplinaridade e a transversalidade interferem em muitos aspectos de sua vida. Deste modo, primeiramente, buscamos obter um maior entendimento em relação ao Programa Agrinho, programa de responsabilidade social proposto pelo governo do Paraná, o qual é disponibilizado à rede municipal de educação de Terra Roxa – PR, por meio de parceria entre Prefeitura, Federação da Agricultura do Estado do Paraná – FAEP e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR. Por meio deste estudo, objetivamos, ainda, analisar as possibilidades de entrecruzamento existentes entre os conceitos de rizoma e a proposta pedagógica do Programa Agrinho. Os autores que subsidiam a base teórica são: Dal Molin (2003), Deleuze e Guattari (1995), Delors (2000), Gallo (2000), Morin (2000), Nicolescu (2000), entre outros. De acordo os dados apresentados, notamos o quanto a educação rizomática está presente na proposta do Programa Agrinho e o quanto ela pode contribuir para as necessárias transformações nos modos de pensar a educação desde os primeiros anos escolares, além de notarmos que o Agrinho consolida-se como uma possibilidade de experimentação docente e de quebra de paradigmas que são perpetuados há muito tempo e em dissonância.

Palavras-chave

Programa Agrinho; Rizoma; Experimentação Docente.

Texto completo:

PDF