Falantes brasileiros e o falar Espanhol: uma descrição do contato linguístico na cidade de Capanema/PR

Solange Goretti Moreira Pizzatto, Jaqueline Cerezoli, Sônia Cristina Poltronieri Mendonça, Lohana Larissa Mariano Civiero, Aparecida Feola Sella

Resumo

Objetiva-se demonstrar, neste artigo a maneira como falantes brasileiros, monolíngues, residentes na fronteira do Brasil com a Argentina, do Estado do Paraná/Brasil, assimilam fenômenos de língua em contato, bem como verificar quais avaliações relacionadas ao uso do espanhol, no contexto brasileiro, são recorrentes. O objeto de pesquisa e composto por recortes de falas de informantes da cidade de Capanema, coletadas por meio do Projeto Crenças e atitudes linguísticas: um estudo da relação do português com línguas de contato, organizado por pesquisadores da Unioeste e da UEL. Moreno Fernández (1998) e Aguilera (2008) sustentam as reflexões de base teórica para o entendimento da situação de contato linguístico presente no cotidiano dos capanemenses. Os resultados foram obtidos por meio de perguntas componentes de um questionário previamente elaborado, às quais os entrevistados foram submetidos e que tinham como objetivo verificar como a língua daquele que fala diferente era concebida. Os depoimentos revelaram tanto avaliações positivas quanto negativas sobre o falar espanhol, e nesse contexto foi possível observar inclusive a existência de certo acolhimento em relação ao falar espanhol argentino, o que pode ser explicado devido à proximidade do município de Capanema, localizada no Sudoeste do Paraná, com a fronteira com a Argentina.

Palavras-chave

Atitudes Linguísticas; Línguas em Contato; Falares de Fronteira; Marcas do Discurso

Texto completo:

PDF

Referências

ABREU, R. L. Paraná MesoMicroMunicip.svg, own work. 2006. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1365072. Acesso em: 02 out. 2018.

AGUILERA, V. A. Crenças e atitudes linguísticas: o que dizem os falantes das capitais brasileiras. Estudos Linguísticos. São Paulo, v. 2, n. 37, p.105-112, mio/ago. 2008.

ATLAS BRASIL. Capanema. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/capanema_pr. Acesso em: 13 abr. 2018.

BUSSE, S.; SELLA, A. F. Uma análise das crenças e atitudes linguísticas dos falantes do Oeste do Paraná. SIGNUM: Estudos da Linguagem, Londrina, v. 15, n. 1, p. 77-93, jun. 2012.

CAPANEMA. Sobre o município. Disponível em: http://www.capanema.pr.gov.br/municipio/sobre. Acesso em: 13 abr. 2018.

FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 3. ed. Curitiba: Editora Positivo, 2004.

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

IBGE. Capanema. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/capanema/panorama. Acesso em 13 abr. 2018.

LAMBERT, W. W.; LAMBERT, W. E. Psicologia Social. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1966.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ. Estrada do Colono abre disputa entre ambientalistas e políticos. Comunicação, Meio Ambiente, 12 mar. 2014. Disponível em: http://www.comunicacao.mppr.mp.br/modules/noticias/article.php?storyid=16243. Acesso em: 02 out. 2018.

MORENO FERNÁNDEZ, F. Principios de sociolingüística y sociología del lenguaje. Barcelona: Ariel. 1998.

NAVARRO, E. A. O domínio da língua castelhana sobre o guarani paraguaio. Revista Philologus, Ano 10, n. 29. Rio de Janeiro: CiFEFiL, maio/ago. 2004 Disponível em: http://www.filologia.org.br/rph/ANO10/29/009.pdf. Acesso em: 12 jun. 2018.

SANTANA, V. R. O papel dos operadores argumentativos na demarcação de crenças e atitudes em Foz do Iguaçu. 2016. 121 f. Tese (Doutorado - Programa de Pós-Graduação em Letras) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2016.

SCHLINDWEIN, S. K. A estrada do colono no imaginário da população de Capanema. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales. 2016. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/cccss/2016/01/capanema.html. Acesso em: 25 jul. 2018.

TOMASETTO, M. Z. C.; LIMA, J. F.; SHIKIDA, P. F. A. Desenvolvimento local e agricultura familiar: o caso da produção de açúcar mascavo em Capanema – Paraná. Interações, Campo Grande, v. 10, n. 1, p. 21-30, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/inter/v10n1/03.pdf. Acesso em: 17 maio 2018.