O PALCO DA MEMÓRIA EM PEDREIRA DAS ALMAS DE JORGE ANDRADE

Rosilene C. M. Andrade, Tânia C. K. Alves Assini

Resumo

Este estudo pretende refletir sobre a simbologia e sua relação com o sagrado presente na  peça Pedreira das Almas (1957) de Jorge Andrade. Os signos tais como: nomes das personagens, centralidade espacial representada pela igreja e cemitério, figura dos santos, a cruz, entre outros chamam a atenção do leitor/platéia para relações opositivas presentes no texto. Essas oposições, por sua vez desdobram-se a representar as relações entre presente e passado, tradição modernidade, sagrado e profano. Ao abordar a simbologia na peça Pedreira das Almas, pretende-se enfatizar a importância dos símbolos no decurso da produção dos sentidos, na linguagem altamente poética do texto. De acordo com Durand (1993, p. 12), a imagem simbólica é “transfiguração de uma representação concreta através de um sentido abstrato. O símbolo é, pois, uma representação que faz aparecer um sentido secreto, é a epifania de um mistério”. 

Palavras-chave

Pedreira das Almas, simbologia, palco, memória.

Texto completo:

PDF