PRESSÃO MANUAL E DOR NA APLICAÇÃO DE VACINA INTRAMUSCULAR EM LACTENTES

Cássia Grigini Godoi, Laís da Silva Lima da Silva Lima, Mauren Teresa Grubisich Mendes Tacla, Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari

Resumo

Avaliar a eficácia do método de pressão manual sobre o sítio de administração da vacina para redução da dor em crianças submetidas à aplicação intramuscular de agentes imunizadores. Estudo quantitativo, caracterizado por um delineamento exploratório, observacional, abrangendo 59 lactentes entre 2 e 12 meses, divididos em dois grupos, com ou sem pressão manual no sítio de aplicação da vacina pneumocócica 10-valente e que foram comparados quanto ao tempo de choro e pontuação na escala de dor NIPS, durante a imunização. O grupo experimental apresentou 58,8% de dor classificada como moderada e 41,2% classificada como dor forte, enquanto o grupo controle apresentou 36% de dor moderada e 64% de dor forte. Apesar deste resultado, não se estabeleceu significado estatístico (p = 0,083). Quanto à escala de dor em relação à idade dos lactentes, comprovou-se estatisticamente (p=0,045) que quanto mais novos, maior a pontuação na escala. Faz-se necessário ampliar a população investigada em novos estudos e com menor intervalo de idade para atestar a eficácia da pressão manual na redução da dor em imunização intramuscular. 

Palavras-chave

Imunização; Dor; Criança; Enfermagem pediátrica

Texto completo:

PDF