OS ESTAMENTOS HEGELIANOS: A RELAÇÃO ENTRE A FAMÍLIA E A SOCIEDADE CIVIL COMO GÊNESE DO ESTADO ABSOLUTO.

Autores

  • Maurício Sérgio Bergamo

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v4i1.14588

Resumo


O artigo tem por objetivo mostrar o desenvolvimento e concretização dos estamentos hegelianos, a partir da relação família/sociedade civil. Para tanto, em um primeiro momento, se fará a análise, contanto com o auxílio de comentadores, sobre a noção apresentada por Hegel de vontade e espírito. Em um segundo momento, apresenta-se elementos e características do primeiro estamento hegeliano, o subjetivo. Para tanto, será de extrema importância, a fim de dar maior magnitude ao trabalho e as exposições à relação família/sociedade civil, abordar conceitos como; idealidade, necessidade, substancialidade, direito; e, particular/universal. Por fim, esboça-se, de modo breve, algumas críticas ao legado de Hegel, que do ponto de vista de Bachelard – filósofo da ciência – tal situação é vista como positiva, pois, proporciona a filosofia constante contingência.

Downloads

Publicado

30-06-2016

Como Citar

BERGAMO, M. S. OS ESTAMENTOS HEGELIANOS: A RELAÇÃO ENTRE A FAMÍLIA E A SOCIEDADE CIVIL COMO GÊNESE DO ESTADO ABSOLUTO. Alamedas, [S. l.], v. 4, n. 1, 2016. DOI: 10.48075/ra.v4i1.14588. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/14588. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios