ATINGIDOS POR BARRAGENS E COTIDIANO: CONCRETUDE, TRANSFORMAÇÃO E RESISTÊNCIA

Autores

  • Cezar Karpinski

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v1i1.228

Resumo


Pensar o cotidiano como um espaço de múltiplas intersecções, onde os sujeitos estabelecem práticas, saberes, táticas e subterfúgios é o objetivo deste artigo. Através de um diálogo entre teóricos deste assunto, procura-se contribuir para a difusão desta categoria de análise dentro dos estudos historiográficos. Os sujeitos se constituem nas diversas experiências do vivido, nas diversas relações de poder e na pluralidade de tempos e espaços que podem ser percebidas na pesquisa do seu cotidiano. Neste sentido, uma “hermenêutica do cotidiano” dos atingido por barragens pode favorecer a uma escrita historiográfica de resistências, transformações e concretudes.

Downloads

Publicado

30-03-2007

Como Citar

KARPINSKI, C. ATINGIDOS POR BARRAGENS E COTIDIANO: CONCRETUDE, TRANSFORMAÇÃO E RESISTÊNCIA. Alamedas, [S. l.], v. 1, n. 1, 2007. DOI: 10.48075/ra.v1i1.228. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/228. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios