ESCOLA SEM PARTIDO NA AGENDA EDUCACIONAL DO GOVERNO BOLSONARO

Autores

Palavras-chave:

Escola sem Partido, Agenda Educacional, Governo Bolsonaro

Resumo


A eleição de Bolsonaro, aliado histórico do movimento Escola sem Partido (ESP), abriu espaço para novas pautas na agenda educacional. Tal abertura poderia significar o alçar do ESP e de suas pautas às decisões governamentais. Assim, o presente artigo busca evidenciar se o ESP tem papel relevante na construção da agenda educacional do governo Bolsonaro. A metodologia se dará por análises de reportagens, publicações nas redes sociais digitais de atores envolvidos e documentos oficiais. Como resultado, percebe-se a pouca relevância do ESP na delimitação da agenda, apesar da adoção de suas pautas pelo governo.

Biografia do Autor

Lucas FELICETTI REZENDE, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando em Educação: Conhecimento e Inclusão Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel (2017) e licenciado (2018) em Ciências Sociais também pela UFMG, com período de intercâmbio acadêmico em Relações Internacionais (2015) na Universidade de Lisboa, Portugal (ULisboa/ISCSP). Tem trabalhos nas áreas de migrações internacionais, trabalho docente e política educacional. Tem interesse de pesquisa nas temáticas de trabalho docente, políticas educacionais, neoconservadorismo, mobilidade internacional de políticas e gênero e sexualidade. Membro do Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente (Gestrado/UFMG).

Downloads

Publicado

25-12-2021

Como Citar

REZENDE, L. F. ESCOLA SEM PARTIDO NA AGENDA EDUCACIONAL DO GOVERNO BOLSONARO. Alamedas, [S. l.], v. 9, n. 2, 2021. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/25257. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios