Montanhismo: um relato de experiência da interdisciplinaridade entre educação física e geografia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2020.v18.n1.p61

Palavras-chave:

Meio ambiente, Montanhismo, Ensino médio.

Resumo


INTRODUÇÃO: Ao debater as questões ambientais, apresentamos o trabalho interdisciplinar de educação física e geografia no montanhismo. OBJETIVO: Apresentar a experiência de uma proposta pedagógica interdisciplinar na prática corporal de aventura de montanhismo no CEFET/RJ campus Petrópolis. MÉTODOS: Pesquisa de caráter qualitativa descritiva, onde debatemos as atividades interdisciplinares realizadas no projeto de extensão Expedições do CEFET/RJ campus Petrópolis, com a participação de alunos do Ensino Médio e graduandos em Turismo. Os dados foram obtidos a partir de relatórios individuais, os quais foram analisados, ordenados e classificados de acordo com Gomes (2002). RESULTADOS: São relatadas, avaliadas e discutidas sete atividades desenvolvidas no ano de 2018 - trilhas e caminhadas no Morro Meu Castelo por duas vezes, Pedra do Quitandinha, Travessia Cobiçado-Ventania, Travessia Uricanal, Travessia Petrópolis-Teresópolis e Caminho do Ouro; onde foram arrolados os temas, na educação física: frequência cardiorrespiratória, percepção de esforço, recreação e lazer, turismo de aventura, compreensão dos limites individuais, hidratação, monitoramento da frequência cardíaca, escala modificada de Borg, alimentação, história do montanhismo, combate ao sedentarismo e práticas corporais de aventura; na geografia: ecossistemas, urbanização, paisagem antropizada, geociências, relevo, bacias hidrográficas, patrimônio natural e contexto histórico; em ambas as disciplinas: saúde, educação ambiental, justiça ambiental, interpretação ambiental, sustentabilidade, preservação e conservação da natureza. O imaginário, os riscos, a prática regular de atividade física e consciência ambiental foram os resultados mais apontados. CONCLUSÃO: A educação física escolar resignificou conteúdos e processos de ensino-aprendizagem de forma interdisciplinar a partir de aspectos que procuraram influenciar os participantes em termos pessoais, escolares, físicos e também emocionais, na busca da formação de um cidadão mais consciente e participativo na sociedade. ABSTRACT. Mountaineering: an experience report of interdisciplinarity between physical education and geography. BACKGROUND: When discussing environmental issues, we present the interdisciplinary work of Physical Education and Geography in mountaineering. OBJECTIVE: To present the experience of an interdisciplinary pedagogical proposal in the corporal practice of mountaineering of adventure at CEFET/RJ, campus Petrópolis. METHODS: This is a descriptive qualitative research, in which we discuss the interdisciplinary activities carried out in the extension project Expeditions of CEFET/RJ at the campus Petrópolis , with the participation of high school students and undergraduate students in Tourism. The data were obtained from individual reports, which were analyzed, ordered and classified according to Gomes (2002). RESULTS: Seven activities developed in 2018 are reported, evaluated and discussed - trails and hikes in Morro Meu Castelo - twice, Pedra do Quitandinha, Travessia Cobiçado-Ventania, Travessia Uricanal, Travessia Petrópolis-Teresópolis and Caminho do Ouro; being listed the following themes, in physical education: cardiorespiratory frequency, perception of effort, recreation and leisure, adventure tourism, understanding of individual limits, hydration, heart rate monitoring, modified Borg scale, eating habits, history of mountaineering, combating physical inactivity and adventure bodily practices; in geography: ecosystems, urbanization, anthropized landscape, geosciences, terrains, river basins, natural heritage and historical context; in both disciplines: health, environmental education, environmental justice, environmental interpretation, sustainability, preservation and conservation of nature. The imaginary, the risks, the regular practice of physical activity and environmental awareness were the most highlighted results. CONCLUSION: School physical education reframed contents and teaching-learning processes in an interdisciplinary way from aspects that sought to influence participants in personal, educational, physical and also emotional terms, in the search for the formation of a more conscious and participative citizen in society.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Faria Porretti, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET/RJ) Campus Petrópolis

Docente no CEFET/RJ campus Petrópolis Doutorando no PPGCEE da UERJ

Fernando Amaro Pessoa, Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET/RJ) Campus Petrópolis

Docente no CEFET/RJ campus Petrópolis (coordenador do Curso Técnico em Telecomunicações integrado ao Ensino Médio)

Monique Ribeiro de Assis, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

Psicanalista. Possui graduação em Psicologia, graduação em Educação Física, mestrado e doutorado pela Universidade Gama Filho. Atualmente é professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e atua no Programa de Pós-Graduação em Ciências do Esporte e do Exercício da UERJ. Desenvolve suas pesquisas na área do imaginário social, atuando principalmente nos seguintes temas: análise do discurso (imagem e palavra), questões relacionadas à imagem corporal, consumo associado ao aperfeiçoamento do corpo e subjetividades contemporâneas, universo da dança em seu contexto histórico e estético. Membro provisório da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ).

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais. 2. ed. São Paulo: Thompson, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acessado em: 10 de dezembro de 2018.

BRUHNS, H. T. A busca pela natureza: turismo de aventura. Barueri, SP: Manole, 2009.

CARVALHO, I. C. de M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2008.

CASTRO J. R.; COUTINHO, B. H.; FREITAS, L. E. Gestão da biodiversidade e áreas protegidas. In GUERRA, A. J. T.; COELHO, M. C. N. (Orgs.). Unidades de conservação: abordagens e características geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009. p. 25-65.

CAVALLAZZI, T. G. L.; CAVALLAZZI, R. S.; CAVALCANTE, T. M. C.; BETTENCOURT, A. N. C.; DICCINI, S. Avaliação do uso da escala modificada de Borg na crise asmática. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 39-45, 2005.

COSTA, V. L. de M. Esportes de aventura e risco na montanha: um mergulho no imaginário. Barueri: Manole, 2000.

CRUZ NETO, O. O trabalho de campo como descoberta e criação. In: DESLANDES, S. F.; CRUZ NETO, O.; MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 51-66.

DIAS, R. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2008.

DIEGUES, A. C. 0 mito moderno da natureza intocada. São Paulo: HUCITEC, 1996.

FARINATTI, P. de T. V.; FERREIRA, M. S. Saúde, promoção da saúde e educação física: conceitos, princípios e aplicações. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2006.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GARCIA NETO, W. Guia de trilhas de Petrópolis. Petrópolis, 2008.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

GOMES, R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: DESLANDES, S. F.; CRUZ NETO, O.; MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 67-80.

HANAI, F. Y.; SILVA NETTO, J. P. Instalações ecoturísticas em espaços naturais de visitação: meios para propiciar a percepção e a interpretação ambientais. OLAM Ciência & Tecnologia, Rio Claro, v. 6, n. 2, p. 200 -23, dez. 2006.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Visitação em parques nacionais bate novo recorde em 2018. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10216-visitacao-em-parques-nacionais-bate-novo-recorde-em-2018>. Acessado em: 15 de outubro de 2019.

ICMBIO/PARNASO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Caminhos da Serra do Mar. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/destaques/167-caminhos-da-serra-do-mar.html.>. Acessado em: 15 de agosto de 2019.

LI, Q.; OTSUKA, T.; KOBAYASHI, M.; WAKAYAMA, Y.; …; KAGAWA, T. Acute effects of walking in forest environments on cardiovascular and metabolic parameters. European Journal of Applied Physiology, Tóquio, v. 111, n. 11, p. 2845-53, 2011.

MENEZES, P. C. O aprendizado brasileiro das trilhas de longo curso no mundo. (O) eco. 2017. Disponível em <http://www.oeco.org.br/colunas/pedro-da-cunha-e-menezes/o-aprendizado-brasileiro-das-trilhas-de-longo-curso-no-mundo/>. Acessado em: 15 de novembro de 2017.

PEREIRA, D. W. Escalada. São Paulo: Odysseus, 2007.

PIMENTEL, G. G. de A. Aventuras de lazer na natureza: o que buscar nelas? In: MARINHO, A.; BRUHNS, H. T. (Org.) Viagens, lazer e esporte: o espaço da natureza. Barueri: Manole, 2006. p. 43-73.

PIOVANI, V. G. S. Atividades de aventura: prática para um tempo livre para o consumo ou para um tempo livre mais humano? Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 11, n. 2, p. 61-67, 2013.

PORRETTI, M. F. Contribuições dos docentes de educação física das escolas municipais de Petrópolis sobre uma reflexão curricular para uma sociedade sustentável. 2011. 117f. Dissertação (Mestrado em Ciências da atividade física) – Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, 2011.

SANTOS, G. C. dos. Professores de Educação Física frente ao desafio dos esportes de aventura. In: PEREIRA, D. W. (Org.). Atividades de aventura: em busca do conhecimento. Várzea Paulista: Fontoura, 2013. p. 67-80.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

TILDEN, F. Interpreting our heritage. North Carolina: The University of North Carolina Press, 1977.

Downloads

Publicado

08.04.2020

Como Citar

PORRETTI, M. F.; PESSOA, F. A.; DE ASSIS, M. R. Montanhismo: um relato de experiência da interdisciplinaridade entre educação física e geografia. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 18, n. 1, p. 61–67, 2020. DOI: 10.36453/2318-5104.2020.v18.n1.p61. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/23580. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Relato de Experiência