Avaliação e efeitos da aplicação de listas de controle/constatações na produção escrita escolar

Autores

  • Lucilene Aparecida Spielmann Schnorr
  • Carmen Teresinha Baumgärtner

Palavras-chave:

Produção textual, Avaliação interativa, Lista de constatações, Reescrita,

Resumo


De acordo com documentos como os Parâmetros Curriculares Nacionais/PCN (BRASIL, 1998) e as Diretrizes Curriculares da Educação Básica do Estado do Paraná/DCE (PARANÁ, 2008), a disciplina de Língua Portuguesa tem a função de contribuir para a ampliação da capacidade comunicativa dos alunos, possibilitando que os mesmos se comuniquem adequadamente nas diversas situações de interação social em que estejam inseridos. As DCE orientam que o ensino/aprendizagem de Língua Portuguesa deve aprimorar os conhecimentos linguísticos e discursivos dos alunos, a fim de que eles compreendam os discursos que os cercam e tenham condições de interagir com esses discursos. Para isso, é fundamental que consideremos a natureza social da linguagem, como também o contexto de produção dos enunciados, os quais têm seus significados social e historicamente constituídos. Na perspectiva dialógica da linguagem, ao trabalhar com a escrita e a reescrita de textos, como professora de Língua Portuguesa de Escola Pública e como pesquisadora, interessou-nos investigar, em nossa pesquisa de mestrado (em andamento), vinculada ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Letras, Nível de Mestrado Profissional em Letras/PROFLETRAS a elaboração e aplicação de um recurso pedagógico que pudesse nos auxiliar no momento da avaliação/correção[1] da produção textual escrita, e que possibilitasse aos alunos um meio mais eficaz de revisão de seus textos, com vistas a orientar adequações no processo de reescrita. Para isso, primeiramente elaborarmos um modelo de recurso, a lista de controle/constatações, e desenvolvemos uma série de atividades voltadas ao seu uso à produção de textos escritos em sala de aula, durante e após as quais o testamos. Situada no campo de Estudos da linguística Aplicada, caracterizando-se como pesquisa-ação, na discussão deste trabalho abordamos os efeitos da aplicação do referido recurso na avaliação, revisão e reescrita de textos de alunos de um 7º ano do Ensino Fundamental, de uma escola da rede pública estadual de ensino de um município do Oeste paranaense, destacando as mudanças constatadas entre a primeira e a segunda versão do texto, bem como a habilidade dos alunos de relacionar os itens elencados nas listas com o contido em seus textos. No decorrer da pesquisa, observamos que a avaliação interativa, realizada via lista de controle/constatações mostrou ser um recurso eficaz para o exercício de reescrita, pois contribuiu para a conscientização dos alunos quanto aos aspectos passíveis de mudança nos seus textos. A avaliação/correção interativa contribuiu para a ampliação das condições necessárias para que os alunos escrevessem textos mais adequados ao seu projeto de dizer.

Referências

ABAURRE, Maria Luiza M., ABAURRE, Maria Bernadete M. Um olhar objetivo para produções escritas: analisar, avaliar, comentar. São Paulo: Moderna, 2012.

ANTUNES, Irandé. Avaliação da produção textual no ensino médio. In: BUNZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia (Orgs.). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003[1979].

BAKHTIN, Mikhail/VOLOCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 12. ed. São Paulo: HUCITEC, 2006 [1929].

BARBOSA, Jaqueline Peixoto, ROVAI, Célia Fagundes. Gêneros do discurso na escola: rediscutindo princípios e práticas. São Paulo: FTD, 2012.

BIASOTTO, Milene, CONCEIÇÃO, Rute Isabel Simões. O processo de reescrita mediado pela correção: mecanismos de parafrasagem. Raído, Dourados, MS, vol. 9, nº 18, jan./jun. 2015. Disponível em: < http://www.periodicos.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/viewFile/3898

/2203>. Acesso em: 23/09/2015.

BUIN, Edilaine. O impacto do bilhete do professor na construção do sentido no texto do aluno. In: SIGNORINI, Inês. (Org.). Gêneros catalisadores: letramento e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

CORDEIRO, Glaís Sales et al. Trabalhando com sequências didáticas: uma proposta de ensino e de análise de narrativas de aventura de viagens. Caleidoscópio, vol. 2, nº 1, 2004.

DOLZ, J. et al. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2004, p. 81-108.

GERALDI, João Wanderley. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

________. Escrita, uso da escrita e avaliação. In: GERALDI, João Wanderley (Org.). O texto na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Anglo, 2012[1984].

GONÇALVES, Adair Vieira. Gêneros textuais e reescrita: uma proposta de intervenção interativa. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa), Araraquara, São Paulo: Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, 2007.

________. Gêneros textuais na escola: da compreensão à produção. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2011.

________ . A lista de controle/constatações como ferramenta para a reescrita de gêneros. In: GONÇALVES, Adair Vieira, BAZARIN, Milene (Orgs.). Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita em foco. 2. ed. São Paulo: Pontes Editores, 2013, p. 21-36.

JESUS, C. A. Reescrevendo o texto: a higienização da escrita. In: CHIAPPINI, Ligia. Aprender e ensinar com textos - vol. 1. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2004, p. 99-117. (Coleção Aprender e Ensinar com Textos).

MENEGASSI, Renilson J. A revisão de textos na formação docente inicial. In: GONÇALVES, Adair Vieira, BAZARIN, Milene (Orgs.). Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita em foco. 2. ed. São Paulo: Pontes Editores, 2013, p. 105-131.

RUIZ, Eliana D. Como corrigir redações na escola. São Paulo: Contexto, 2013 [2001].

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2004.

SERAFINI, Maria Teresa. Como escrever textos. 9. ed. São Paulo: Globo, 1998.

THIOLLENT, Michel Jean Marie, COLETTE, Maria Madalena. Pesquisa-ação, formação de professores e diversidade. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, Maringá, v. 36, n. 2, p. 207-216, July-Dec., 2014, Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=30733269

, Acesso em 28/02/2016.

Downloads

Publicado

03-08-2016

Como Citar

SPIELMANN SCHNORR, L. A.; BAUMGÄRTNER, C. T. Avaliação e efeitos da aplicação de listas de controle/constatações na produção escrita escolar. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 2, p. 141–163, 2016. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/13761. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

LINGUAGEM