Formação docente em língua estrangeira – uma pesquisa de estado da arte

Autores

  • Alessandra Leles Rocha
  • Maria Marta Carrijo de Oliveira

Palavras-chave:

Formação docente, língua estrangeira moderna, docência.

Resumo


O propósito deste trabalho é traçar um panorama da realidade da formação docente em língua estrangeira, no Brasil e, a partir disso, estabelecer os principais desafios dessa formação, com base na literatura acadêmica e apontar a demanda de publicação cientifica sobre o tema, na ótica da diversidade geográfica brasileira. A metodologia utilizada foi pesquisa de estado da arte, cujo corpus originou-se a partir do Banco de Teses da CAPES – Coordenação De Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. A amostragem foi pautada na busca de títulos de "Formação de Professores para o Ensino de Língua Estrangeira". Foram encontrados 32 resumos que tratavam especificamente dessa abordagem. Os resultados refletem os dados da literatura e evidenciam que o docente necessita para o bom resultado de seu trabalho o constante processo de reflexão crítica sobre sua própria atuação e aprimoramento.

Referências

ALENCAR, C. Educar é humanizar. In: ALENCAR, C; GENTILI, P. Educar na esperança em tempos de desencanto. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. p. 97-118.

CAVALLARI, J. S. O lugar da língua materna na constituição identitária do sujeito bilíngue. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 43, n. 1, p. 171-183, Jan./Jun. 2004. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-18132004000100014>. Acesso em: 03 ago. 2016.

GIMENEZ, T. N.; CRISTOVÃO, V. L. L. Derrubando paredes e construindo pontes: formação de professores de língua inglesa na atualidade. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 4, n. 2, p. 85-95. 2004. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/rbla/v4n2/05.pdf>. Acesso em: 03 ago. 2016.

GUIMARÃES, V. S. Formação de Professores: saberes, identidade e profissão. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 2004. 128 p.

MALATÉR, L. S. de O. Discurso de uma futura professora sobre sua identidade profissional. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 8, n. 2, p. 445-464, 2008.

MEJÍA, M. N. A., RODEA, M. C., CASTRO, H. M. da S. G., GONZÁLEZ, L. H. A formação teórico-crítica do docente: a pesquisa-ação, uma experiência no México. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 7, n. 1, p. 183-206, 2007.

PERRENOUD, P. Construir competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. 86 p.

ROMANOVISKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo "Estado da Arte" em educação. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, set/dez. 2006.

TARDIF, M.; LESSARD, C.. O trabalho docente – Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 317 p.

VIANNA, C. P. O sexo e o gênero da docência. Cadernos PAGU (17/18) 2001/02: pp.81-103. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/cpa/n17-18/n17a03>. Acesso em: 02/01/2015.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. PCNs – Línguas Estrangeiras. Disponível em http://www.portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.pdf e http://www.portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/14_24.pdf. Acesso em: 10 jan. 2015.

ROLNIK, R.; KLINK, J. Crescimento econômico e desenvolvimento urbano: por que nossas cidades continuam tão precárias? Novos estud. - CEBRAP [online], n.89, p. 89-109, 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/nec/n89/06.pdf>. Acesso em: 03 ago. 2016.

TEIXEIRA, C. S.; RIBEIRO, M. A. A. Ensino de Língua Estrangeira: concepções de Língua, Cultura e Identidade no contexto do Ensino/Aprendizagem. Linha d’Água, USP, São Paulo, n. 25 (1), p. 183-201, 2012. Disponível em:<http://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/37372>. Acesso em: 03 ago. 2016.

Downloads

Publicado

19-08-2016

Como Citar

ROCHA, A. L.; DE OLIVEIRA, M. M. C. Formação docente em língua estrangeira – uma pesquisa de estado da arte. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 2, p. 297–314, 2016. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/14712. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

EDUCAÇÃO