A Banda União:

uma construção musical comunitária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i3.27787

Palavras-chave:

banda de música, construção identitária, repertório musical, Banda União.

Resumo


O presente artigo discute a construção histórica identitária das bandas de música brasileiras. Como recorte de corrente pesquisa de doutorado, o caso específico aqui apresentado é o da Corporação Musical União dos Artistas, fundada em 1912 na cidade de Itu no interior Paulista. O trabalho de campo foi realizado a partir de observações de ensaios e apresentações, revisão bibliográfica de publicações sobre a banda, notícias de sites e da imprensa local da região da cidade de Itu/SP. Para contextualizar o caso estudado, também foi realizada uma revisão bibliográfica sobre as bandas de música brasileiras. Processos similares foram observados e colocados em diálogos entre o estudo de caso e a bibliografia. Assim, observamos a construção identitária das bandas dadas em múltiplos processos de interações com diferentes segmentos da sociedade, destacando: o senso de pertencimento com as comunidades e com os espaços públicos/coletivos; a diversidade de situações de performance; a interação com os costumes dos campos religioso, político, militar e do entretenimento; as relações de aceitação e resistência às novas tecnologias de comunicação; e também o diálogo com o campo educacional. Em todos esses processos, pudemos verificar que o repertório musical cumpre diferentes e fundamentais papeis motivadores, condutores ou resultantes dos mesmos. Logo, entendemos que o desenvolvimento identitário histórico das bandas ocorre atrelado ao desenvolvimento do seu repertório musical, sobretudo por sua diversidade.

Biografia do Autor

Fernando Vieira da Cruz, Unicamp - Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Música - UNICAMP; Mestre em Música - UNICAMP (2019); Especialista em Docência no Ensino Superior - FACON (2015) e Licenciado em Música - UNIMES (2014); Estudou Saxofone no Conservatório de Tatuí/SP (2013-2015). Atuou como Educador Musical e Supervisor Educacional no Projeto Guri (2006-2019). Professor e Regente em Bandas de Música e Orquestras Filantrópicas no interior paulistas desde 2006. Idealizador e diretor do Encontro Viva a Banda. Dedica-se especialmente ao ensino coletivo em banda de música.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 2016.

BARBOSA, Joel Luis. An Adaptation of American Band Instruction Methods to Brazilian Music Education, Using Brazilian Melodies. 1994. University of Washington, 1994.

BARBOSA, Joel Luis. Considerando a Viabilidade de Inserir Musica Instrumental no Ensino de Primeiro Grau. Revista da ABEM, Salvador, v. 3, n. 3, p. 39-50, 1996.

BENEDITO, Celso José Rodrigues. O mestre de filarmônica da bahia: um educador musical. 2011. Universidade Federal da Bahia, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9101.

BINDER, Fernando. Bandas militares no Brasil: difusão e organização entre 1808-1889. 2006. Universidade Estadual Paulista, 2006.

CRUZ, Fernando Vieira da. O material didático para bandas de música: reflexões e possibilidades de uso. Educação no Brasil: Experiências, Desafios e Perspectivas, Ponta Grossa: Editora Atena, 2019. a. p. 243-252. DOI: 10.22533/at.ed669192709. Disponível em: https://www.atenaeditora.com.br/arquivos/ebooks/educacao-no-brasil-experiencias-desafios-e-perspectivas-3.

CRUZ, Fernando Vieira da. A (Re)Construção da Banda de Música: Repertório e Ensino. 2019b. Campinas: Unicamp, 2019. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/333950.

CRUZ, Fernando Vieira da. BANDA EM PAUTA PODCAST. Direção: Fernando Vieira Da CRUZ. Brasil: www.achor.fm, 2020. Disponível em: https://anchor.fm/bandaempauta e https://youtu.be/8qFJBNHja-Y.

CRUZ, Fernando Vieira da; CRUZ, Dayana Aparecida Marques de Oliveira. Reflexões da prática pedagógica voltada à criação musical. Reflexão e Ação, BR, v. 26, n. 2, p. 267-282, 2018. DOI: 10.17058/rea.v26i2.4852. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/4852/pdf.

CRUZ, F. V. da. O repertório na construção identitária das bandas de música. Orfeu, Florianópolis, v. 6, n. 1, 2021. DOI: 10.5965/2525530406012021e0016. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/19522. Acesso em: 29 out. 2021.

DUPRAT, Régis. Música na matriz de São Paulo Colonial. Revista de história, v. 37, n. 75, p. 85–103, 1968. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.1968.128465. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/128465.

DUPRAT, Régis. Uma pesquisa sobre a Música Popular Brasileira do século XIX. In: SEMINÁRIO DE MÚSICA DO MUSEU DA INCONFIDÊNCIA: BANDAS DE MÚSICA NO BRASIL, 1., 2009, Ouro Preto. Anais [...]. Ouro Preto: Museu da

Inconfidência, 2009. p. 32-39.

ITU, Museu da Música. Cadernos de música - Bandas de música em Itu. 2. ed. Itu: Museu da Música - Itu, 2012.

LANGE, Francisco Curt. Pesquisas exporádicas de musicologia no Rio de Janeiro. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros - USP, São Paulo, n. 4, p. 99-142, 1968. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i4p99-142. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/45696.

LANGE, Francisco Curt. Las bandas de música en el Brasil. Revista musical chilena, v. 51, n. 187, p. 27-36, 1998. DOI: 10.4067/s0716-27901997018700003. Disponível em: https://revistamusicalchilena.uchile.cl/index.php/RMCH/article/view/13049.

LIMA, Nilsângela Cardoso. Imagens de Teresina (PI) do século XIX-XX: sentimentos, desejos, tramas urbanas e práticas jornalísticas. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26., 2011, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: ANPUH, 2011.

MOREIRA, Marcos dos Santos. Aspectos históricos, sociais e pedagógicos nas filarmônicas do divino e nossa senhora da conceição, do estado de sergipe. 2007. Universidade Federal da Bahia, 2007. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9134.

PÁTEO, Maria Luisa de Freitas Duarte. Bandas de Música e Cotidiano Urbano. 1997. Universidade Estadual de Campinas, 1997.

PEREIRA, José Antônio. A Banda de Música: retratos sonoros brasileiros. 1999. Universidade Estadual Paulista, 1999.

REILY, Suzel Ana. Bandas de sopro - um diálogo transcultural. In: anais do i seminário de música do museu da inconfidência: bandas de música no brasil. 2009, Ouro Preto/MG. Anais [...]. Ouro Preto/MG: Museu da Inconfidência, 2009. p. 23–32.

SALLES, Vicente. Sociedades de Euterpe as bandas de música no Grão Pará. Edição do ed. Brasília/DF.

SCHROEDER, Sílvia Cordeiro Nassif. Reflexões sobre o conceito de musicalidade: em busca de novas perspectivas teóricas para a educação musical. 2005. Universidade Estadual de Campinas, 2005.

SCHWARCZ, Liliam Moritz. As Barbas do imperador, D. Pedro II: um Monarca dos Trópicos. 2. ed. São Paulo: EDITORA SCHWARCZ, 1999.

SOUZA, David Pereira de. As gravações históricas da Banda do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (1902-1927): valsas, polcas e dobrados. 2009. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2009.

VOLÓCHINOV, Valentin; BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 1. ed. São Paulo: EDITORA 34, 2017.

ZANONI, Elton Frias. Leituras da cidade. Memória e história de Salto. 1. ed. Guarulhos/SP: Editora Espaço Idea, 2012. Disponível em: https://issuu.com/efzanoni/docs/leituras.

ZEQUINI, Anicleide; BOMBANA, Maria Celia Brunello. A Banda de Itu 100 anos de luta e glória 1912 - 2012.

Downloads

Publicado

20-12-2021

Como Citar

CRUZ, F. V. da. A Banda União:: uma construção musical comunitária. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 3, p. 169–185, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i3.27787. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/27787. Acesso em: 22 jan. 2022.

Edição

Seção

CULTURA