Dos clássicos da literatura às redes sociais com a produção de minicontos no Ensino Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v16i1.28198

Palavras-chave:

Ensino de Língua Portuguesa, Miniconto, Multiletramentos, Letramento literário

Resumo


A leitura e a produção de miniconto são raramente abordadas em aulas de Língua Portuguesa e em livros didáticos. Por isso, o objetivo desta pesquisa-ação foi desenvolver e avaliar um projeto de leitura, de produção de minicontos a partir do diálogo com clássicos da literatura e de divulgação por meio de redes sociais, com 130 alunos do Ensino Médio de uma escola estadual do interior de São Paulo. A pesquisa fundamentou-se na concepção bakhtiniana de linguagem; nos conceitos de multiletramentos e letramento literário; em estudos sobre o miniconto; na concepção sociocognitiva de leitura e de produção escrita. Metodologicamente, desenvolveu-se como pesquisa-ação entre os meses de maio a setembro de 2019. Resultou na produção de 360 minicontos. Espera-se que o relato desta pesquisa contribua para outros docentes que buscam práticas motivadoras de leitura dos clássicos e de produção escrita.

Biografia do Autor

Analídia Tafuri, Universidade de Taubaté (Unitau)

Mestre em Lingística Aplicada (Unitau).

Referências

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: língua portuguesa: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC; SEB, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019.

BUTLEN, M. A leitura: uma pratica cultural polimorfa. Leitura: Teoria e prática, Campinas, v. 33, n. 65, p. 13-34, 2015. Disponível em: https://ltp.emnuvens.com.br/ltp/article/view/408/254. Acesso em: 15 maio 2019.

CANDIDO, A. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

COSCARELLI, C. V. Reflexões sobre as inferências. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE LINGUÍSTICA APLICADA, 6., Belo Horizonte, 2002. Anais [...]. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

FRANCO, M. A. S. A pedagogia da pesquisa-ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set./dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a11v31n3.pdf. Acesso em: 04 abr. 2016.

KOCH, I. G. V. A construção dos sentidos no discurso: uma abordagem sociocognitiva. Investigações, Recife, v. 18, n. 2, p. 9-38, 2005.

KOCH, I. V.; ELIAS, Vanda M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Gêneros discursivos no ensino de leitura e produção de textos. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B., BRITO, K. S. (org.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Palmas: Kaygangue, 2006. p. 79-93.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Aspectos teóricos e sequências didáticas para a produção escrita de gêneros discursivos. Revista Letras & Letras, Rio de Janeiro, v. 31, n. 3, p. 132-157, jun. 2015.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Sequência didática para leitura de reportagem. In: BARROS, E. M. D.; STRIQUER, M. S. D.; STORTO, L. J. (org.). Propostas didáticas para o ensino da Língua Portuguesa. Campinas: Pontes, 2018. p. 71-90. v. 1.

MARCUSCHI, L. A. A Produção textual, análise de gênero e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MINAYO, M. C. S.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 9, v. 3, p. 239-262, jul./set. 1993.

MOITA LOPES, L. P. Oficina de Lingüística Aplicada. Campinas: Mercado de Letras, 1996.

NOVAES, A. E. Compreendendo a sintaxe das interfaces. In: COSCARELLI, C. V. (org.). Hipertextos na teoria e na prática. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2012. p. 11-36.

PAULINO, G.; COSSON, R. Letramento literário: para viver a literatura dentro e fora da escola. In: ZILBERMAN, R. S.;

ROSING, T. M. K. (org.). Escola e leitura: velha crise, novas alternativas. São Paulo: Global, 2009. p. 61-79.

ROJO, R.; ALMEIDA, E. M. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editora, 2012.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SPALDING, M. Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século e a Reinvenção do Miniconto na Literatura Brasileira Contemporânea. 2008. 81 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

SPALDING, M. Presença do miniconto na literatura brasileira. Conexão Letras, Porto Alegre, v. 7, n. 8, 2012. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/conexaoletras/article/view/55443/33705. Acesso em: 17 abr. 2019.

TAFURI, A. Leitura e produção de minicontos em aulas de língua Portuguesa: o gênero miniconto em sala de aula. 2019. 101 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada), Universidade de Taubaté, Taubaté, 2019.

TODOROV, T. As estruturas narrativas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

VARGAS, D. S. Por uma visão cognitivista do processo de inferenciação em leitura. Ciências & Cognição, v. 20, n. 2, p. 313-330, 2015. Disponível em: http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1024/pdf_64 Acesso em: 18 nov. 2018.

VOLOCHÍNOV, V. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina V. Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Downloads

Publicado

30-04-2022

Como Citar

TAFURI, A. Dos clássicos da literatura às redes sociais com a produção de minicontos no Ensino Médio. Travessias, Cascavel, v. 16, n. 1, p. 67–86, 2022. DOI: 10.48075/rt.v16i1.28198. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/28198. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM