Identidade discursiva e identidade cultural nas cantigas do congado mineiro

a identidade enunciada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v16i1.28500

Palavras-chave:

identidade cultural, contrato comunicacional, congado, Semiolinguística

Resumo


Este trabalho discute a construção da identidade cultural de grupos de congado a partir de uma análise das cantigas de congado do centro-oeste mineiro por meio do aporte teórico da teoria semiolinguística de Charaudeau (2021, 2008, 2006, [2005a] 2021, [2005b] 2021, 2004). Para tanto, recorremos aos conceitos de contrato comunicacional, competências linguísticas e imaginários sociodiscursivos. Como uma teoria que dialoga com outras, conciliamos a abordagem semiolinguística com os conceitos de identidade, de Bauman (2005, 2003) e identidade cultural, de Hall (2012, 2006, 2003). Para abordar aspectos relacionados ao congado, recorremos aos trabalhos de autores como Mello e Souza (2002), Schechner (2012) e Silva (2010). Na perspectiva deste trabalho, a identidade cultural dos grupos de congado se constitui a partir da enunciação operada por esses grupos no âmbito de um papel social coletivo que desempenham durante as festividades do congado, evidenciando que a identidade é circunstancial, dada pela situação comunicacional em que esses grupos se encontram e nos quais enunciam sua identidade de congadeiro. Para efetivar esse processo identitário, o sujeito congadeiro mobiliza um conjunto de imaginários, na forma de saberes compartilhados pelo grupo, por meio dos quais representa a si mesmo, o grupo e também o reinado com seus respectivos rituais.

Biografia do Autor

Elisson Ferreira Morato, Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG)

Graduado em Letras pela UFOP e Mestre em Estudos Linguísticos pela UFMG, atualmente é professor de Língua Portuguesa do CEFET-MG.

Referências

ASSOCIAÇÃO DO REINADO DO ROSÁRIO DE ITAPECERICA (ARRI). Da festa e

dos Mistérios. Itapecerica: ARRI/Viola Correa Produções Artísticas, 2006. 2 CDs. Acompanha livreto.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

CASCUDO, L. C. Dicionário do folclore brasileiro. 5. ed. Belo Horizonte Itatiaia, 1984.

CHARAUDEAU, P. A manipulação da verdade: do triunfo da negação às sombras da pós-verdade. Youtube, 09 dez. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=sG4Lbzt9nXI. Acesso em: 19 nov. 2021.

CHARAUDEAU, P. Uma teoria dos sujeitos da linguagem. In: LARA, G. M. P.; MACHADO, I. L; EMEDIATO, W. (org.). Análises do Discurso Hoje. Rio de Janeiro: Nova Fronteira/Lucerna, 2008. p. 11-30. v. 1.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. São Paulo: Contexto, 2006.

CHARAUDEAU, P. L’identité culturelle entre soi et l’autre. In: COLLOQUE DE LOUVAIN-LA-NEUVE, 20., 2005. Louvain-La-Neuve. Actes de Colloque de Louvain-la-Neuve, Louvain-la-Neuve: Université de Louvain, Louvain-la-Neuve, 2005a. p. 1-7. Disponível em: http://www.patrick-charaudeau.com/L-identite-culturelle-entre-soi-et.html. Acesso em: 19 nov. 2021.

CHARAUDEAU, P. Identité sociale et identité discursive: un jeu de miroir fondateur de l’activité langagière. In: CHARAUDEAU, P. (org.). Identités sociales et discursives du sujet parlant. Paris: L`Harmattan, 2005b. p. 55-89.

CHARAUDEAU, P. Identités sociales, identités culturelles et compétences. In: CHARAUDEAU, P. Hommage à Paul Miclau (Références à compléter). Paris: Hachette, 2004. p. 1-7.

CONGADO MINEIRO. S. l.: Itaú Cultural, s.d. 1 CD.

HALL, S. Quem precisa de identidade? In: SILVA, T. T. (org). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2012. p. 103-133.

HALL, S. Identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

LAGES, S. R. C.; ARAÚJO, K. Identidade cultural e religiosidade: a festa de Nossa Senhora do Rosário de Bela Vista de Minas. Interações, Belo Horizonte, v. 12, n. 22, s. p., 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/3130/313054587003/html/index.html. Acesso em: 18 set. 2021.

MARRA, F. B. Álbum de Família: Famílias Afro-descendentes no Século XX em Uberlândia-MG. Uberlândia: Prefeitura Municipal de Uberlândia/Secretaria Municipal de Cultura, 2005.

MARTINS, L. Afrografias da memória. São Paulo: Mazza Edições, 1997.

MELLO E SOUZA, M. Catolicismo negro no Brasil: Santos e minkisi, uma reflexão sobre miscigenação cultural. Afro-Ásia, v. 28, n. 1, p. 125-146, 2002. Disponível em: http://historia.fflch.usp.br/sites/historia.fflch.usp.br/files/catoliscismo.pdf. Acesso em 22 mar. 2021.

MIRANDA. A. Sociedade da informação: globalização, identidade cultural e conteúdos. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 78-88, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ci/v29n2/a10v29n2.pdf. Acesso em: 15 ago. 2021.

SCHECHNER, R. Ritual (do Introduction to Performance Studies). In: LIGIÉRO, Z. (org.). Performance e antropologia de Richard Schechner. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012. p. 49-89.

SILVA, R. A. Negros católicos ou catolicismo negro? Um estudo sobre a construção da identidade negra no Congado mineiro. Belo Horizonte: Nandyala, 2010.

Downloads

Publicado

30-04-2022

Como Citar

MORATO, E. F. Identidade discursiva e identidade cultural nas cantigas do congado mineiro: a identidade enunciada . Travessias, Cascavel, v. 16, n. 1, p. 30–47, 2022. DOI: 10.48075/rt.v16i1.28500. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/28500. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM