EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS: POR UMA SUBJETIVIDADE HETEROTÓPICA

Autores

  • Daniel Salésio Vandresen

Palavras-chave:

educação, virtual, subjetividade, heterotopia.

Resumo


O pretende texto visa analisar os fundamentos da relação educação e tecnologias a partir de alguns conceitos de Michel Foucault, como: discurso, saber-poder, heterotopia e subjetividade, relacionando-os com o pensamento de Pierre Lévy sobre a Cibercultura e o Virtual. Na era da Cibercultura torna-se indispensável pensar que tipo de subjetividade é construída através das relações nas redes virtuais. Para Foucault o espaço faz parte da constituição de nossa experiência na cultura Ocidental. Em oposição a fixidez do espaço medieval, nossa época constitui-se pelo movimento entre diferentes pontos. Sendo imprescindível resgatar o espaço do outro (heterotopia) em oposição aos espaços homogeneizantes de nossa cultura. Já Lévy descreve nossa época com o conceito de Cibercultura, onde as redes de informação e comunicação tecnológica são ou fazem a própria cultura, isto é, produzem, ao mesmo tempo, inovações tecnológicas e relacionamentos humanos. Portanto, questão essencial aos autores é: em meio aos discursos veiculados nas redes virtuais, como construir um sujeito emancipado em oposição as subjetividades que nos constituem.

Downloads

Publicado

13-08-2013

Como Citar

VANDRESEN, D. S. EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS: POR UMA SUBJETIVIDADE HETEROTÓPICA. Travessias, Cascavel, v. 7, n. 1, 2013. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/7703. Acesso em: 21 out. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: OS PROCESSOS INCLUSIVOS DE ENSINO DE LEITURA E DE LITERATURA