LÍNGUAS E CULTURAS EM CONTATO: O TALIAN E A PRESERVAÇÃO DA IDENTIDADE ITALIANA EM CASCAVEL

Autores

  • Wânia Cristiane Beloni
  • Sanimar Busse

Resumo


Mais de 60% dos italianos que se fixaram no rio grande do sul tinha língua e cultura vênetas. Por isso, o dialeto vêneto acabou se tornando, no início, em língua franca para famílias de diferentes regiões e dialetos italianos. O dialeto vêneto, porém, sofreu mudanças quando entrou em contato com o português, tornando-se uma nova língua, chamada de talian. A colonização no oeste do paraná ocorreu somente no século xx, e por isso pode ser definida como moderna. Compreender a influência italiana em cascavel é entender como os colonos que se estabeleceram aqui enfrentaram e lutaram pela preservação de sua cultura, pois a colonização desta cidade não foi tão homogênea como em outras cidades da região. Luzzatto (1994) afirma que o talian está presente em diversas cidades do rio grande do sul, santa catarina e paraná, citando, inclusive, cascavel. Pretende-se, portanto, com base na observação de manifestações culturais e linguísticas de alguns grupos de descendentes italianos de cascavel perceber a importância de se estudar as manutenções da língua e da cultura italiana nesta cidade. Ainda que de forma restrita, este dialeto continua sendo falado e é, portanto, uma língua viva. Prova disso é a presença de descendentes italianos, assim como de movimentos cascavelenses com base na cultura e na língua italiana, como o círculo italiano de cascavel, o grupo de dança folclórica italiana ladri di cuori, o grupo de canto filó e o programa de rádio italia del mio cuore.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

BELONI, W. C.; BUSSE, S. LÍNGUAS E CULTURAS EM CONTATO: O TALIAN E A PRESERVAÇÃO DA IDENTIDADE ITALIANA EM CASCAVEL. Travessias, Cascavel, v. 7, n. 2, 2000. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/9337. Acesso em: 28 out. 2021.

Edição

Seção

LINGUAGEM