A TRADUÇÃO PORTUGUÊS-LIBRAS FACE AO FENÔMENO DA AMBIGUIDADE LEXICAL: EM FOCO A PALAVRA ‘ESTADO’

Autores

  • Keli Adriana Vidarenko da Rosa
  • Jorge Bidarra

Palavras-chave:

Tradução, ambiguidade lexical, língua portuguesa, Libras

Resumo


O ato de traduzir é uma prática antiga, porém ainda desafiadora e complexa. De acordo com Campos (1986), não traduzimos de uma língua para outra, mas de uma cultura para outra. Portanto, somente o conhecimento vocabular e linguístico do tradutor não garante a qualidade do texto traduzido, é preciso ter um grande conhecimento cultural dos povos envolvidos. Dentre as complexidades envolvendo a tradução, uma delas nos chama mais atenção: a ambiguidade lexical. Discutiremos neste artigo os desafios e os impasses que a ambiguidade lexical, presente em língua portuguesa, tende impor na tradução de textos para glosa Libras. Mais especificamente, trataremos o caso da palavra ‘estado’. Para as nossas análises, selecionamos um corpus, formado por 774 ocorrências da palavra ‘estado’, em contexto. Tais ocorrências foram extraídas de textos coletados em diferentes fontes, como jornais, revistas e livros online.  Porém, para este estudo, apresentaremos ocorrências em que ‘estado’ assume dois sentidos específicos: lugar/localização e condição (de saúde). Para tanto, tomamos como base para discussão os principais conceitos que permeiam a tradução sob os pressupostos de autores como: Campos (1986), Quadros (2002, 2004), Jakobson (1975), e os que tratam da ambiguidade lexical, Ullmann (1964), Azeredo (2011) e Silva (2006). 

Downloads

Publicado

03-08-2014

Como Citar

DA ROSA, K. A. V.; BIDARRA, J. A TRADUÇÃO PORTUGUÊS-LIBRAS FACE AO FENÔMENO DA AMBIGUIDADE LEXICAL: EM FOCO A PALAVRA ‘ESTADO’. Travessias, Cascavel, v. 8, n. 1, 2014. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/9391. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

LINGUAGEM