USO DE MEDICAMENTOS EM CRIANÇAS SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores

  • Roberta Soldatelli Pagno Paim
  • Ana Claudia Muller

DOI:

https://doi.org/10.48075/vscs.v1i2.12729

Palavras-chave:

Uso de medicamentos, Crianças, Automedicação.

Resumo


O uso de medicamentos sem prescrição médica em crianças é uma prática comum e frequentemente ocorre sem a orientação de um profissional da área da saúde. Devido às diferenças farmacocinéticas entre adultos e crianças, estas estão mais suscetíveis aos efeitos adversos dos medicamentos. Além disso, devido às questões éticas, legais e econômicas, o conhecimento acerca dos efeitos dos medicamentos nesta faixa etária é escasso e limitado. Dessa forma, tendo em vista que a automedicação é considerada um problema de saúde pública, este trabalho tem como objetivo analisar as publicações científicas acerca do uso de medicamentos em crianças, sem prescrição médica. Pretende-se contribuir para a produção do conhecimento em relação ao tema, a fim de informar os profissionais da área da saúde sobre os riscos do uso inadequado de medicamentos em crianças. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de uma revisão de literatura, de cunho qualitativo, visando o estudo e análise de artigos científicos publicados entre os anos de 2000 a 2015. A busca de artigos ocorreu na base de dados SCIELO tendo como palavras-chave: uso de medicamentos; crianças; automedicação. RESULTADOS: Observou-se que o uso de medicamentos em crianças sem prescrição médica tem, na maioria dos casos, como objetivo aliviar sintomas iniciais como febre e dores leves, porém, esta prática pode acarretar em graves consequências, principalmente as intoxicações. CONCLUSÃO: É de extrema importância a criação de estratégias de promoção da saúde, que tenham como objetivo orientar e educar a população sobre o uso consciente de medicamentos.

Downloads

Publicado

09-02-2016

Como Citar

SOLDATELLI PAGNO PAIM, R.; MULLER, A. C. USO DE MEDICAMENTOS EM CRIANÇAS SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA: UMA REVISÃO DE LITERATURA. Varia Scientia - Ciências da Saúde, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 149–155, 2016. DOI: 10.48075/vscs.v1i2.12729. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/variasaude/article/view/12729. Acesso em: 22 out. 2021.

Edição

Seção

Revisões de Literatura