IDENTIFICAÇÃO DE ENTEROCCO RESISTENTE A VANCOMICINA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO ESTADO PARANÁ

Autores

  • Maria ANDRIOLO RICHETTI Hospital Universitário do Oeste do Paraná Cascavel/PR
  • Debora Cristina Ignácio Alves Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Unioeste
  • Drieli Wawzeniak de Anchieta Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Unioeste
  • Cristina Daiana Bohrer Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Amin Ali Mehanna Universidade Federal da Integração Latino-Americana - Unila

DOI:

https://doi.org/10.48075/vscs.v3i2.17680

Palavras-chave:

Colonização, Multirresistência, Cultura de Vigilância.

Resumo


Introdução: O Enterococcus sp bactéria gram positiva, que faz parte da microbiota intestinal normal, é também um dos mais virulento causadores das infecções relacionadas à assistência à saúde (Iras) e a colonização. Indivíduos colonizados, superfícies e equipamentos contaminados por Enterococcus resistente à vancomicina (VRE, do inglês Vancomycin-resistant Enterococcus) são reservatórios potenciais de alto risco para transmissão da bactéria. Por ser resistente à vancomicina e de fácil disseminação em ambiente hospitalar, causando infecção cruzada e surtos intra-hospitalares, a identificação precoce desta bactéria permite as ações preventivas. Objetivo: Identificar as culturas de vigilância positivas de VRE em pacientes transferidos de outros serviços de saúde. Método: Trata-se de estudo epidemiológico retrospectivo e descritivo, baseado na avaliação de 231 culturas de vigilância realizadas em hospital universitário com 205 leitos, entre janeiro de 2016 e maio de 2017, respeitadas as exigências éticas estabelecidas na Resolução 466/2012 Ministério da Saúde. Resultados: Foram identificados dois casos com cultura positiva para VRE e ambos com comprovação fenotipagem vanA Lacen/PR. Conclusão: Foram identificadas culturas positivas de VRE durante o período de estudo, sendo a primeira vez que o VRE foi identificado nas culturas de vigilância do hospital em estudo, orientado precaução de contato e HM.

 

Biografia do Autor

Maria ANDRIOLO RICHETTI, Hospital Universitário do Oeste do Paraná Cascavel/PR

Graduada em Enfermagem pela Unioeste 1987, especialista em controle de infecção São Camilo; MBA em gestão em saúde e controle de infecção Famesp; Qualidade e segurança no cuidado ao paciente Instituto de Ensino Pesquisa Sírio Libanês. Concursada da SETI e lotada no Hospital Universitário do Oeste do Paraná desde 2001.

Debora Cristina Ignácio Alves, Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Unioeste

Enfermeira, Doutora, Docente do Colegiado de Enfermagem - Campus Cascavel - Cascavel/PR

Drieli Wawzeniak de Anchieta, Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Unioeste

Enfermeira Residente Hospital Universitário do Oeste do Paraná

Cascavel/PR

Cristina Daiana Bohrer, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Enfermeira Residente Hospital Universitário do Oeste do Paraná  Cascavel/PR

Amin Ali Mehanna, Universidade Federal da Integração Latino-Americana - Unila

Médico Residente Hospital Municipal de Foz do Iguaçu Padre Germano Lauck - Foz do Iguaçu/PR

Downloads

Publicado

29-12-2017

Como Citar

RICHETTI, M. A.; ALVES, D. C. I.; DE ANCHIETA, D. W.; BOHRER, C. D.; MEHANNA, A. A. IDENTIFICAÇÃO DE ENTEROCCO RESISTENTE A VANCOMICINA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO ESTADO PARANÁ. Varia Scientia - Ciências da Saúde, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 181–186, 2017. DOI: 10.48075/vscs.v3i2.17680. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/variasaude/article/view/17680. Acesso em: 22 jan. 2022.

Edição

Seção

II SIMPÓSIO DA QUALIDADE EM SAÚDE E VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA