AVALIAÇÃO PROPRIOCEPTIVA EM MULHERES SAUDÁVEIS SUBMETIDAS A TERAPIA COM LASER DE BAIXA POTÊNCIA INFRAVERMELHO

Autores

  • Morgana Neves Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Grazieli da Silva
  • Hewelayne Suelyn Gomes
  • Gustavo Kiyosen Nakayama
  • Gladson Ricardo Flor Bertolini

DOI:

https://doi.org/10.48075/vscs.v3i2.18253

Palavras-chave:

Terapia a laser, Equilíbrio postural, Sistema nervoso.

Resumo


A propriocepção desempenha um papel essencial e é definida como a capacidade de integrar vários sinais sensoriais de mecanorreceptores para determinar a posição do corpo e os movimentos no espaço. Isso ocorre através do alongamento dos fusos musculares, receptores de cápsulas articulares, ligamentos e órgão tendinoso de Golgi. Entre as avaliações de propriocepção, pode-se citar a baropodometria eletrônica, um método instrumental, sendo uma técnica utilizada para avaliar a pressão plantar tanto na posição estática como no movimento, que registra os pontos de pressão exercidos pelo corpo. Por outro lado, o Star Excursion Balance Test (SEBT) é um teste de equilíbrio funcional usado para avaliar a propriocepção. A terapia a laser de baixa potência (LLLT) quando aplicada às células-tronco, observou-se aumento da proliferação e diferenciação celular. A LLLT tem sido utilizada visando não só o reparo e a analgesia, mas para atrasar os níveis de fadiga muscular, reduzir os níveis de lactato, creatina quinase e proteína C reativa após o exercício, aumentar a resistência e desempenho além do torque muscular. Embora os efeitos bioestimulantes estejam comprovados, há uma lacuna na literatura que liga os efeitos de LLLT à propriocepção, equilíbrio e controle de movimento em mulheres jovens saudáveis. Objetivo: Avaliar se a aplicação de LLLT infravermelho altera a propriocepção em mulheres jovens. Métodos: 26 voluntárias foram avaliadas estaticamente e dinamicamente por meio de baropodometria eletrônica nas variáveis: distância do centro do pé, pressão máxima e média e superfície. A propriocepção também foi avaliada funcionalmente pelo SEBT. A intervenção ocorreu em dois períodos distintos, separados por uma semana de intervalo, pois este foi um estudo cruzado, de modo que os voluntários foram submetidos a placebo ou LLLT (830 nm, 8 J / cm2), nos músculos: gastrocnêmio, sóleo, tibial anterior e fibular longo e curto. Resultados: a análise da baropodometria tanto dinâmica como estática não encontrou diferenças significativas para o grupo de intervenção e o grupo controle. Resultados semelhantes foram observados para SEBT. Conclusão: A aplicação do LLLT, nos parâmetros propostos, não influenciou a propriocepção em mulheres jovens.

Downloads

Publicado

29-12-2017

Como Citar

NEVES, M.; SILVA, G. da; GOMES, H. S.; NAKAYAMA, G. K.; BERTOLINI, G. R. F. AVALIAÇÃO PROPRIOCEPTIVA EM MULHERES SAUDÁVEIS SUBMETIDAS A TERAPIA COM LASER DE BAIXA POTÊNCIA INFRAVERMELHO. Varia Scientia - Ciências da Saúde, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 247, 2017. DOI: 10.48075/vscs.v3i2.18253. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/variasaude/article/view/18253. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

II JORNADA ACADÊMICA DE FISIOTERAPIA