O ESTADO, A NAÇÃO E O ESTADO-NAÇÃO

Deise Baumgratz

Resumo


O presente artigo está dividido em três partes, no primeiro momento expõe-se a teoria de formação de Estado de Engels, descrevendo como se deu a formação do Estado, vinculando principalmente a evolução da propriedade privada e, portanto, aos interesses do capital e das classes hegemônicas. Na sequência, através de análise bibliográfica explana-se sobre o processo de concepção da Nação, no sentido de identidade, reforçando não se tratar de um processo natural, mas arquitetado pelo Estado na tentativa de homogeneização e governabilidade da população, de forma romântica, levando populações inteiras a matar e morrer em defesa da nação. Por último ratifica-se como o Estado-nação se utiliza do poder simbólico, do monopólio legítimo da violência e de outros fatores para controle da nação.


Palavras-chave


Estado; Nação; Identidade; Dominação

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Alamedas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Alamedas - Revista Eletrônica de Filosofia


e-ISSN 1981-0253

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Toledo

Rua da Faculdade, 645 - Jardim La Salle

CEP: 85903-000 – Toledo-Paraná-Brasil

Fone: (45) 3379-7071

| revistaalamedas@gmail.com |