DESCONHECIMENTO, INVISIBILIDADE, VULNERABILIDADE E NEGLIGÊNCIA: A PERCEPÇÃO DOS FAMILIARES DA CRIANÇA CELÍACA SOBRE SUAS NECESSIDADES ALIMENTARES ESPECIAIS NA ESCOLA

Flavia Anastacio Paula

Resumo


Buscou-se neste texto descrever, condensar e sintetizar as situações do atendimento de pessoas com necessidades alimentares especiais na escola, em relevo para a condição celíaca. A análise teórica baseada no cotidiano inverteu o lugar do olhar sobre a escola, passando a olhá-la pelo ponto de vista da família. A metodologia se constituiu na sistematização de episódios cotidianos de mães de alunos sobre a rotina escolar relatados em fóruns on-line de acesso público. Objetiva-se listar pontos, tensões, fragilidades e angústias da/na atenção às necessidades alimentares especiais nas escolas e nos centros de Educação Infantil para uma educação inclusiva. Para fins da exposição, o texto se divide em três eixos: a) a análise conjuntural da construção do campo e de uma problemática; b) depoimento de familiares; c) as orientações prescritivas sobre o tema. O caráter prescritivo da terceira parte neste material está no entendimento que a escola é direito de todos e assim traz orientações para a superação das barreiras arquitetônicas, comunicacionais e atitudinais visando à inclusão das pessoas celíacas. As diretrizes aqui condensadas visam garantir a vida, a saúde e práticas educativas minimamente necessárias para tal condição.


Palavras-chave


Educação Infantil; Inclusão; Alimentação

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Faz Ciência


ISSN 1677-0439 (versão impressa) – ISSN 1983-148X (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Francisco Beltrão

Rua Maringá, 1200 - Bairro Vila Nova

Francisco Beltrão – Paraná - CEP: 85605-010

revista.fazciencia@unioeste.br |