O CORPO: UMA VISÃO DA ANTROPOLOGIA E DA FENOMENOLOGIA

Autores

  • Karen Andréa Comparin
  • Jacó Fernando Schneider

DOI:

https://doi.org/10.48075/rfc.v6i1.7407

Resumo


Tendo em vista o número reduzido de trabalhos que abordam as vivências das pessoas com relação às manifestações corpóreas, consideramos o presente estudo importante para todos os profissionais que se inter-relacionam com "corpos" em seus universos de trabalho, possibilitando assim uma melhor compreensão sobre os mesmos. Nesse sentido, a proposta deste estudo é fazer um resgate histórico a respeito das concepções sobre o corpo, abordando posteriormente a visão da antropologia e da fenomenologia sobre o assunto. Para a antropologia, diferente das ciências da saúde, o corpo é visto não somente como biológico e psicológico, mas também como um corpo social e cultural. Para a fenomenologia, especialmente retratada pelo pensamento de Maurice Merleau-Ponty, o chamado corpo próprio é o corpo visto como uma unidade, tendo como produto final, o corpo total. Embora o significado de corpo seja diferente para os dois casos, é de consenso que o mesmo deva ser abordado como um corpo total, corpo social, corpo próprio.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

COMPARIN, K. A.; SCHNEIDER, J. F. O CORPO: UMA VISÃO DA ANTROPOLOGIA E DA FENOMENOLOGIA. Revista Faz Ciência, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 173, 2000. DOI: 10.48075/rfc.v6i1.7407. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/7407. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos