A VISÃO PESSIMISTA DA MODERNIDADE: APONTAMENTOS SOBRE A CONCEPÇÃO DA MODERNIDADE EM MAX WEBER E GEORG SIMMEL

Autores

  • Marco Aurelio de Oliveira Leal Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.48075/ra.v9i2.25702

Palavras-chave:

Weber, Simmel, Jaula de Ferro, Tragédia da Cultura, Modernidade

Resumo


A modernidade é um tema central na sociologia e ocupa especial lugar no pensamento de autores clássicos, como Durkheim, Marx, Weber e Simmel. Focando na tradição alemã, Marx produz uma discussão acerca da modernidade diretamente ligada aos aspectos econômicos e industriais, ao apontar as mazelas promovidas por esse processo de avanço do capitalismo propriamente moderno, cujo efeito direto sobre a classe proletária representava o combustível necessário à revolução a ser empreendida por ela. Seus contemporâneos, Weber e Simmel, possuem uma visão particular acerca do fenômeno da modernidade. Apesar de produzirem em semelhante época, ambos os autores, ao tratarem deste fenômeno, vão ter visões com semelhanças e dissensos em suas discussões. Diferentemente de Marx, os dois autores possuem uma visão pessimista da modernidade que discutiremos ao longo deste breve artigo, destacando os seus pontos de confluência e dissonância, em especial as suas conclusões acerca dos conceitos da Jaula de Ferro e Tragédia da Cultura.

Biografia do Autor

Marco Aurelio de Oliveira Leal, Universidade Federal de Pernambuco

Atualmente é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (PPGS-UFPE). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco. Possui interesses nas áreas de Pensamento Social Brasileiro, Sociologia Política e Sociologia do Consumo.

Downloads

Publicado

25-12-2021

Como Citar

LEAL, M. A. de O. A VISÃO PESSIMISTA DA MODERNIDADE: APONTAMENTOS SOBRE A CONCEPÇÃO DA MODERNIDADE EM MAX WEBER E GEORG SIMMEL . Alamedas, [S. l.], v. 9, n. 2, 2021. DOI: 10.48075/ra.v9i2.25702. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/alamedas/article/view/25702. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos e Ensaios