Capital intelectual e sua relação com indicadores de rentabilidade em empresas do setor elétrico listadas na B3

Autores

  • Jessica Fernanda da Silva de Souza Oliveira Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Campus de Marechal Cândido Rondon, Graduada em Ciências Contábeis https://orcid.org/0009-0003-1382-2994
  • Thalia Bueno Torres Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE, Campus de Marechal Cândido Rondon, Graduada em Ciências Contábeis https://orcid.org/0009-0008-3324-4040
  • Valnir Alberto Brandt Doutor em Contabilidade pela Universidade do Minho – Portugal, Mestre em Contabilidade e Controladoria pela FEA/USP, Docente do curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) https://orcid.org/0000-0002-1394-8859

DOI:

https://doi.org/10.48075/csar.v25i45.31445

Palavras-chave:

Capital intelectual.VAIC. Indicadores de rentabilidade.

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo identificar se há correlação entre indicadores de rentabilidade e os indicadores de eficiência do capital intelectual (VAIC) nas empresas do setor de energia elétrica listadas na B3. O capital intelectual é um dos fatores essenciais para as entidades, que não é visivelmente listada no ativo intangível no balanço patrimonial de uma empresa, mas poderá ter influência no seu desempenho. Nesse sentido, o sucesso das organizações, dentre outros fatores, depende da capacidade e eficiência na utilização do capital intelectual. Da mesma forma, o desempenho financeiro também é uma unidade de avaliação nas organizações. Foram calculados os indicadores de rentabilidade das empresas analisadas, para comparar com indicadores do Capital Intelectual. A metodologia utilizada no estudo quanto aos objetivos é uma pesquisa descritiva, em relação aos procedimentos se classifica como documental e a abordagem se refere à análise quantitativa. Para a realização dessa pesquisa foi utilizado o método proposto por Pulic (2000), denominado Value Added of Intellectual Coeficient (VAIC), que busca verificar a eficiência da criação de valor na empresa de acordo com os números apresentados pela contabilidade. Os dados foram coletados através das demonstrações financeiras anuais de 2019 a 2021 referentes a 32 empresas do setor de energia elétrica listadas na B3. Foram realizadas as análises de correlação e regressão entre as variáveis obtidas mediante ao uso do sistema IBM SPSS Statistics. Os resultados e conclusão, constatam que existe correlação positiva forte entre o VAIC e RSPL, assim como entre RSPL e ECI. No que se refere a regressão se identifica que cada 1% de aumento no RSPL corresponde em adicionar uma variação de 6,108% no VAIC.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELETRICA. A ANEEL, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/aneel/pt-br/acesso-a-informacao/institucional/a-aneel. Acesso em: 04 nov. 2022.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELETRICA. Saiba mais sobre o setor elétrico brasileiro, 2022. Disponível em: https://www.aneel.gov.br/. Acesso em: 20 mar. 2022.

AL-MUSALI, M. A. K.; ISMAIL, K. N. I. K. Intellectual capital and its effect on financial performance of banks: evidence from Saudi Arabia. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 164, p. 201-207, 2014.

ANTUNES, M. T. P. Contabilidade e Capital Intelectual. 9ª semana de contabilidade do Banco Central do Brasil, v. 9, 2000.

ASSAF NETO, A. Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2020.

Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE). Visão Geral do Setor. Brasília, 2021. Disponível em: https://www.abradee.org.br/setor-eletrico/visao-geral-do-setor/. Acesso em 31 out. 2022.

BEUREN, I. M. et al. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

BOLLEN, L.; VERGAUWEN, P.; SCHNIEDERS, S. Linking intellectual capital and intelectual property to company performance. Management Decision, 2005.

BONTIS, N. Intellectual capital: An exploratory study that develops measures and models. Menagement Decision, v. 36, n. 2, p.63-76, 1998.

BRANDT, V. A.; KOCHEPKA, A. L.; PRESTES, C. M. L. The Profitability and its relation to the intellectual Capital of brazilian banking sector companies. Business and Management Review, v. 4, n. 7, February 2015.

BRIZOLLA, M. M. B.; TURRA, S. Efeitos do capital intelectual sobre o desempenho financeiro em companhias de capital aberto. Revista eletrônica de administração e turismo, v. 6, n. 3, Jan-Jun 2015.

CARVALHO, F. M. R. D. et al. A Influência dos Componentes de Capital Intelectual no Desempenho Econômico/Financeiro e Valor de Mercado (Q-Tobin) nas Empresas Brasileiras Listadas na BMF&Bovespa. XVII Usp International Conference of Accounting, São Paulo, Jul 2017.

CASTRO, N. D.; ROSENTAL, R. O Estado e o Setor Elétrico Brasileiro. Jornal dos Economistas, Rio de Janeiro, v. 326, p. 4-5, 2016.

CHEN, M.; CHENG, S.; HWANG, Y. An empirical investigation of the relationship between intellectual capital and firms’ market value and financial performance. Journal of Intellectual capital, v. 6, n. 2, p. 159-176, 2005.

CHOWDHURY at al. Impact of intellectual capital on financial performance: evidence from the Bangladeshi textile sector. Journal of Accounting & Organizational Change, v. 14, n. 4, p. 429-454, 2018.

CRESPO, Antônio A. Estatística fácil. 12. ed. Editora Saraiva, 2009.

DŽENOPOLJAC, V.; JANOŠEVIC, S.; BONTIS, N. Intellectual capital and financial performance in the Serbian ICT industry. Journal of Intellectual Capital, v. 17, n. 2, p. 373-396, 2016.

EDVINSSON, L. Developing Intellectual Capital at Skandia. Long Range Planning, v. 30. n. 3. p. 366-373, 1997.

EDVINSSON, L.; MALONE, M. S. Capital Intelectual. 1. ed. São Paulo: Makron Books, 1998.

EDVINSSON, L.; SULLIVAN, P. Developing a model for managing intellectual capital. European Management Journal, v. 14, n. 4, p. 356-364, 1996.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA; MINISTERIO DE MINAS E ENERGIA. Anuário Estatístico de Energia Elétrica. Rio de Janeiro. 2021.

ENERGY FUTURE. Entenda como funciona o Setor Elétrico Brasileiro. 2022. Disponível em: https://www.energyfuture.com.br/blog/entenda-como-funciona-o-setor-eletrico-brasileiro. Acesso em: 04 dez. 2022.

FÁVERO, Luiz P. Estatística - Aplicada a Administração, Contabilidade e Economia com Excel e SPSS. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2022.

HAIR et al. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

KAMATH, B. G. Intellectual capital and corporate performance in Indian pharmaceutical industry. Journal of Intellectual Capital, v. 9, n. 4, p. 684-704, 2008.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estrategia em ação: Balanced Scorecard. 21. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

KOCHEN, R. M.; BRANDT, V. A. Relação entre rentabilidade e Capital intelectual de empresas do setor bancário. XII Encontro ciêntifico de ciências sociais aplicadas de Marechal Candido Rondon: Fronteira, Marechal Candido Rondon, 2017.

KWEH et al. Intellectual capital, governmental presence, and firm performance of publicly listed companies in Malaysia. International Journal of Learning and Intellectual Capital, v. 16, n. 2, p. 193-211, 2019.

LEV, B. Intangible: Managament, measurement, and reporting. Washington: Brookings Institution, 2001.

LEV, B. Facts and fiction. Journal of Economic Perspectives, v. 7, n. 2, p. 27-50, 2003.

MARTINS, E.; MIRANDA, G. J.; DINIZ, J. A. Análise didática das demonstrações contábeis. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2020.

MERITUM. Guidelines for Managing and Reporting on Intangibles. Measuring Intangibles to Understand and Improve Innovation Management. Madri: MERITUM, 2002.

MOLLAH, M. A. S.; ROUF, M. A. The impact of intellectual capital on commercial banks' performance: evidence from Bangladesh. Journal of Money and Business, v. 2, n. 1, p. 82-93, 2022.

OUSAMA, A. A.; HAMMAMI, H.; ABDULKARIM, M. The association between intellectual capital and financial performance in the Islamic banking industry: An analysis of the GCC banks. International Journal of Islamic and Middle Eastern Finance and Management, v. 13, n. 1, p. 75-93, 2020.

OZKAN, N.; CAKAN, S.; KAYACAN, M. Intellectual capital and financial performance: A study of the Turkish Banking Sector. Borsa Istanbul Review, v. 17, n. 3, p. 190-198, 2017.

PAL, K.; SORIYA, S. IC performance of Indian pharmaceutical and textile industry. Journal of Intellectual capital, v. 13, n. 1, p. 120-137, 2012.

PEREZ, M. M.; FAMÁ, R. Características estratégicas dos ativos intangíveis e o desempenho econômico da empresa. UNISANTA Law and Social Science, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 107-123, 2015.

PUCAR, Stevo. The influence of intellectual capital on export performance. Journal of Intellectual Capital, v. 13, n. 2, p. 248-261, 2012.

PULIC, A. Measuring the performance of intelectual potential in Knowledge Economy. 2nd McMaster word congress on measuring and managing intellectual capital by the Austrian team for intellectual potential, Hamilton, 1998.

PULIC, A. VAIC™ – an accounting tool for IC management. International journal of technology management, v. 20, p. 702-714, 2000.

REIS, L. B.; SANTOS, E. C. Energia elétrica e sustentabilidade: Aspectos tecnológicos, socioambientais e legais. 2ª ed. Barueri, SP: Manole, 2014.

REUTERS. Brasil terá alta maior na carga de energia elétrica com melhora no PIB, aponta governo. 2022. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/consumo/brasil-tera-alta-maior-na-carga-de-energia-eletrica-com-melhora-no-pib-aponta-governo/. Acesso em: 04 dez. 2022.

REZENDE, Y. Informação para negócios: os novos agentes do conhecimento e a gestão do capital intelectual. Ciência da informação, v. 31, n. 2, p. 120-128, 2002.

RIBEIRO, O. M. Série + em Foco - Estrutura e análises de balanços. 12. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

ROCHA, C. H.; SILVA, F. G. F. D. Setor elétrico Brasileiro e capital intelectual: uma aplicação do teste de Chow. Brazilian Applied Science Review, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 720-737, 2021.

ROOS, G.; ROOS, J. Measuring your Company’s Intellectual Performance. Long Range Planning, Grã-Bretanha, v. 30, n. 3, p. 413-426, 1997.

SEETHARAMAN, A.; LOW, K. L. T; SARAVANAN, A. S. Comparative justification on intellectual capital. Journal of Intellectual Capital, v. 5, n. 4, p. 522-539, 2004.

SICSÚ, A. L.; DANA, S. Estatística Aplicada: análise exploratória de dados. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

SILVA, A. A. D. Estrutura, Análise e Interpretação das Demonstrações Contábeis. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

STEENKAMP, N.; KASHYAP, V. Importance and contribution of intangible assets: SME managers' perceptions. Journal of Intellectual Capital, v. 11, n. 3, p. 368-390, 2010.

STEWART, T. A. Intellectual Capital: The new wealth of organizations. New York: Doubleday Currency, 1997.

ST-PIERRE, J.; AUDET, J. Intangible assets and performance: Analysison manufacturing SMEs. Journal of Intellectual Capital, v. 12, n. 2, 202-223, 2011.

TING, I. W. K.; LEAN, H. H. Intellectual capital performance of financial institutions Malaysia. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 4, p. 588-599, 2009.

TING, I. W. K.; REN, C.; CHEN, F.; KWEH, Q. L. Interpreting the dynamic performance effect of intellectual capital through a value-added-based perspective. Journal of Intellectual Capital, v. 21 n. 3, p. 381-401, 2020.

USLU, H. The role of intellectual capital in financial development: evidence from the banking sector of Turkey. Competitiveness Review, v. 32, n. 2, p. 230-249, 2022.

VIRGILLITO, S. B. Estatística Aplicada. 1. ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2017.

VO, D. H.; TRAN, N. P. Intellectual capital and bank performance in Vietnam. Managerial Finance, v. 47, n. 8, p. 1094-1106, 2021.

Downloads

Publicado

18-08-2023

Como Citar

FERNANDA DA SILVA DE SOUZA OLIVEIRA, J.; BUENO TORRES, T.; ALBERTO BRANDT, V. Capital intelectual e sua relação com indicadores de rentabilidade em empresas do setor elétrico listadas na B3. Ciências Sociais Aplicadas em Revista, [S. l.], v. 25, n. 45, p. 128–149, 2023. DOI: 10.48075/csar.v25i45.31445. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/csaemrevista/article/view/31445. Acesso em: 4 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigos de Administração, Ciências Contábeis e Direito (Interdisciplinar)