BIBLIOTECA ESCOLAR DO TRABALHO E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA

Autores

  • Marcos Gehrke

DOI:

https://doi.org/10.48075/rfc.v18i28.15878

Palavras-chave:

biblioteca escolar do trabalho, formação de professores, ledor-escrevedor, matrizes formativas

Resumo


Trata da Biblioteca Escolar do Trabalho (BET) e sua articulação com a formação continuada de professores, questionando a formação que não atribui intencionalidade à Biblioteca Escolar (BE) e sua função formativa. Discute a biblioteca escolar na relação estudantes e professores, numa perspectiva de formação que considera a cultura, o conhecimento, a auto-organização e o trabalho enquanto matrizes formativas dos sujeitos escolares e da BET. Conclui que a BET, na contradição das suas condições, desassistida pelo Estado, pode forjar práticas transgressoras, quando articulada à formação continuada do professor. Indica a necessidade de a escola estruturar, pela práxis, um projeto de leitura e escrita, articulando a escolarização e a vida; de produzir acervo localmente pelo ledor-escrevedor, e que o Estado faça dessa prática, uma política pública. Reforça a atualidade e necessidade da pesquisa na BE, desde que vinculada aos processos de luta pela educação pública, dimensão que o professor precisa retomar permanentemente em sua formação.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

GEHRKE, M. BIBLIOTECA ESCOLAR DO TRABALHO E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. Revista Faz Ciência, [S. l.], v. 18, n. 28, p. 66, 2000. DOI: 10.48075/rfc.v18i28.15878. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/15878. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos