A LEGITIMIDADE E LEGALIDADE DO CONSUMO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS PIRATAS

Autores

  • Caroline Coradassi Almeida Santos Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO
  • Luciano Ferreira de Lima Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO
  • Juliane Sachser Angnes Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO

DOI:

https://doi.org/10.48075/rfc.v21i33.22276

Palavras-chave:

Produtos falsificados, legitimidade, legalidade.

Resumo


Sobre o processo de comercialização de defensivos agrícolas, questiona-se a existência de aspectos de legitimidade em relação a produtos ilegais, contrabandeados e falsificados, também conhecidos ou chamados de piratas. O espírito deste estudo está baseado no questionamento anteriormente citado. Logo, alguns conceitos iniciais são necessários para a caracterização do tema. Assim, notavelmente, a origem da vida social e seus desdobramentos em diferentes relacionamentos, a partir de influências que culminaram para um desenvolvimento social, político e econômico se transformam a partir de propósitos e interesses. Nesse caso, permite-se dizer que a reflexão sobre o modo como as relações se estabelecem estão arraigadas às condições expostas diante dos grupos a qual pertencem, neste caso de estudo a rede de comercialização de defensivos agrícolas.A partir dos conceitos estudados criou-se um modelo, neste, em resumo, permite-se averiguar que as bases de governança e legitimidade influenciam de modo diferente toda a ação da rede e que se torna legítimo para os envolvidos a partir do momento que internalizam aquelas práticas e já não mais as questionam. 

Downloads

Publicado

11-04-2020

Como Citar

SANTOS, C. C. A.; LIMA, L. F. de; ANGNES, J. S. A LEGITIMIDADE E LEGALIDADE DO CONSUMO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS PIRATAS. Revista Faz Ciência, [S. l.], v. 21, n. 33, p. 61, 2020. DOI: 10.48075/rfc.v21i33.22276. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/22276. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos