IMPLICAÇÕES PAISAGÍSTICAS DO PROCESSO DE EVOLUÇÃO URBANA DE FRANCISCO BELTRÃO/PR

Autores

  • Gilnei Machado

DOI:

https://doi.org/10.48075/rfc.v15i21.8730

Palavras-chave:

Paisagem, evolução urbana, Francisco Beltrão

Resumo


O processo de evolução urbana de Francisco Beltrão, localizada no Sudoeste do Paraná, ocorreu embasado em quatro períodos bem distintos ao longo da história de ocupação do município, os quais são denunciados pelas marcas ou implicações que cada um deles deixou na paisagem. Este artigo tem por objetivo analisar cada um destes períodos, buscando identificar os atores sociais ou territoriais envolvidos e o resultado de suas ações impressos na paisagem urbana de Francisco Beltrão. O primeiro período se estende do momento inicial de ocupação do município, por volta de 1922, até a emancipação política do mesmo, em 14 de dezembro de 1951 e sua instalação definitiva em 1952. Fase essa caracterizada pelo desbravamento das terras e florestas. O Segundo Período iniciou-se na época da emancipação e se estendeu até meados da década de 1970, sendo marcado pelos investimentos públicos e privados. O Terceiro Período compreende as décadas de 1970 e 1980, época da intensificação da migração campo-cidade. O quarto Período iniciou-se na década de 1990 sendo caracterizado pela redefinição da cidade nos moldes da política econômica globalizada. A fim de aprofundar o tema da pesquisa realizada resta sugerir a realização do estudo do período atual, o qual denominamos de Quinto Período.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

MACHADO, G. IMPLICAÇÕES PAISAGÍSTICAS DO PROCESSO DE EVOLUÇÃO URBANA DE FRANCISCO BELTRÃO/PR. Revista Faz Ciência, [S. l.], v. 15, n. 21, p. 93, 2000. DOI: 10.48075/rfc.v15i21.8730. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/8730. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos