Gestos de interpretação em atividade de leitura da letra da música “Mulheres de Atenas”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i3.27219

Palavras-chave:

Práticas Discursivas, Letra de Música, “Mulheres de Atenas”

Resumo


Este artigo é o relato de uma atividade de leitura que aborda a identidade da mulher. Nosso objetivo é analisar as discursividades que compõem respostas de alunos e que produzem sentidos acerca da condição da mulher retratada na letra da música “Mulheres de Atenas” de Buarque e Boal (1976). Ao trazer questões sociais para o contexto de sala de aula, levamos em conta a importância crescente das lutas por direitos de grupos minoritários, dentre os quais se destacam os debates sobre a identidade da mulher. Utilizamos os conceitos da Análise de Discurso de linha francesa, como formação discursiva, efeitos de sentido, interdiscurso e sujeito, baseados em autores como Althusser (1970), Authier-Revuz (2004), Brandão (2004), Pêcheux (1978) e Orlandi (2009), entre outros. A geração dos dados foi feita por meio de um questionário aplicado a uma turma de 7º ano do Ensino Fundamental regular, com auxílio da ferramenta Google Forms e do aplicativo de aparelhos celulares WhatsApp, entre junho e julho de 2019. Gestos de leitura da composição musical apontaram para a constituição discursiva de diversos sujeitos, evidenciando sempre a presença de um outro, num interdiscurso que implica um lugar social e uma constituição identitária transitória, afirmando ora a adolescência, ora a condição adulta, ora o estudante, ora o trabalhador que concorre por trabalho no mercado. Nas palavras dos respondentes ao questionário, identificamos a percepção de violências contra a mulher, da subordinação aos maridos à ausência de reconhecimento por seu trabalho, desumanização e objetificação.

Biografia do Autor

Roksyvan de Paiva Silva, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Mestre em Letras pelo Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS/UFPB e professor da educação básica na Prefeitura Municipal de João Pessoa, PB.

Marluce Pereira da Silva, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Doutora em Letras pela UNESP/Araraquara-SP. Professora do Departamento de Jornalismo e do Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS/UFPB.

Laurênia Souto Sales, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Doutora em Linguística pelo PROLING/UFPB. Professora do Departamento de Letras e do Mestrado Profissional em Letras - PROFLETRAS/UFPB.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Trad. Joaquim José de Moura Ramos. Lisboa: Editorial Presença/Martins Fontes, [1970].

AUTHIER, Jacqueline. Palavras mantidas à distância. In: CONEIN, Bernard et al. Materialidades discursivas. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2016. p. 201-226.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

BRANDÃO, Helena Hathsue Nagamine. Introdução à análise do discurso. 2. ed. rev. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/Consed/Undime, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 4 jan. 2019.

BUARQUE, Chico; BOAL, Augusto. Mulheres de Atenas. Fotocópia de documento sob a guarda do Arquivo Nacional contendo a letra e o Parecer da censura da música pelo Serviço de Censura de Diversões Públicas em 1976. In: WIKIPÉDIA. Mulheres de Atenas [verbete]. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mulheres_de_Atenas. Acesso em: 9 out. 2021.

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens. 9. ed. reform. São Paulo: Saraiva, 2015.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios & procedimentos. Campinas: Pontes, 2009.

PÊCHEUX, Michel. Hacia el análisis automático del discurso. Trad. Manuel Alvar Ezquerra. Madrid: Editorial Gredos, 1978.

RUSSO, Victor. Streamers X Youtubers: qual é a diferença? inFluu. Disponível em: https://influu.me/blog/streamers-x-youtubers-qual-e-a-diferenca. Acesso em: 5 jul. 2019.

Downloads

Publicado

20-12-2021

Como Citar

SILVA, R. de P.; SILVA, M. P. da; SALES, L. S. Gestos de interpretação em atividade de leitura da letra da música “Mulheres de Atenas”. Travessias, Cascavel, v. 15, n. 3, p. 2–20, 2021. DOI: 10.48075/rt.v15i3.27219. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/27219. Acesso em: 22 jan. 2022.

Edição

Seção

LINGUAGEM