A ATUAL POLÍTICA PARA A EDUCAÇÃO NO BRASIL: A ESCOLA E A CULTURA DO DESEMPENHO

Paolo Nosella

Resumo


O texto evidencia a conotação semântica implícita na expressão "cultura do desempenho" que invadiu nesses últimos 20 anos o âmbito das políticas educacionais. Ilustra que se trata de um retorno da tecnologia educacional que, em sua essência, mutila a dimensão humanista das práticas e dos estudos pedagógicos. A cultura do desempenho se impôs no espaço educativo pela onda das avaliações sistêmicas, dos incentivos por meio de provas e, premiações a partir da concepção meritocrática. Trata-se de uma cultura alheia ao espírito humanista da educação e desmistificadora da dialética educação e sociedade. A cultura do desempenho é a cultura explícita do mercado, que apresenta um conjunto de modelos estandardizados, consolidados e impostos aos educadores. Aos educadores compete reafirmar que a ciência da educação possui um estatuto científico próprio e autônomo, capaz de ensinar, educar e avaliar sua produção e, assim se contrapor a lógica do mercado.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Faz Ciência


ISSN 1677-0439 (versão impressa) – ISSN 1983-148X (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Francisco Beltrão

Rua Maringá, 1200 - Bairro Vila Nova

Francisco Beltrão – Paraná - CEP: 85605-010

revista.fazciencia@unioeste.br |