A implantação da humanização do atendimento hospitalar em Brasilândia do Sul como alternativa para melhorar o atendimento nas unidades básicas de saúde

Autores

  • Leidijane Nunes da Silva UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.48075/comsus.v7i2.21077

Palavras-chave:

Saúde Pública, Gestão Hospitalar, Atendimento Humanizado.

Resumo


O presente estudo tem por objetivo analisar as possibilidades de implantação do processo de Política de Humanização nas unidades básicas de saúde de Brasilândia do Sul, baseado nos passos propostos pelo Manual do Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Os aspectos metodológicos foram definidos a partir de pesquisa bibliográfica e documental, com abordagem qualitativa. A pesquisa documental pautou-se nos dados do Relatório Quadrimestral de Atendimento, elaborado pela Secretaria de Saúde Municipal, com referência aos quatro primeiros meses do ano de 2018. Nesse período destaca-se uma grande demanda em agendamentos de consultas e solicitação de medicamentos, os quais os pacientes retiram gratuitamente na farmácia básica do município, de acordo com o tratamento prescrito pelo médico. A pesquisa bibliográfica faz uma abordagem sobre os conceitos de humanização e seus parâmetros norteadores criados pelo Ministério da Saúde e que vem sendo difundidos ao longo dos anos no Brasil, convergindo com a grande demanda em saúde pública. Como resultado desta análise, este estudo propõe algumas etapas para a implantação do atendimento humanizado hospitalar nas unidades de atendimento básico a saúde, do município de Brasilândia do Sul, a fim de melhorar o atendimento aos usuários e as condições de trabalho dos profissionais que trabalham neste setor.

Downloads

Publicado

15-07-2020

Como Citar

SILVA, L. N. da. A implantação da humanização do atendimento hospitalar em Brasilândia do Sul como alternativa para melhorar o atendimento nas unidades básicas de saúde. Revista Competitividade e Sustentabilidade, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 373–386, 2020. DOI: 10.48075/comsus.v7i2.21077. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/comsus/article/view/21077. Acesso em: 23 jan. 2022.