Avaliação da mobilidade a pé: A percepção do pedestre nas vias da cidade de Cascavel

Autores

  • Kelly Regina Viecelli

DOI:

https://doi.org/10.48075/comsus.v7i1.21084

Palavras-chave:

Mobilidade, Administração Pública, Gestão

Resumo


O presente trabalho tem o objetivo de verificar, pelo ponto de vista do pedestre, como ele avalia a mobilidade a pé na cidade de Cascavel. Este tema foi escolhido para que se possa ter uma noção da mobilidade na cidade, visto que geralmente são priorizados investimentos em vias e esquece-se das calçadas. A Constituição Federal assegura que a mobilidade urbana é um direito do cidadão, dentro desse contexto, temos também a Política Nacional de Mobilidade Urbana, Lei nº 12.587/2012, que tem por objetivo a integração dos meios de transporte e a melhoria da acessibilidade e mobilidade das pessoas. Diante disso, foram aplicados questionários com questões fechadas e apresentadas em escala de Likert de 5 pontos, no período de 07/08/2018 à 21/08/2018, sobre a mobilidade a pé na cidade de Cascavel. Neste relato foi utilizada a metodologia Bola de Neve, buscando um número maior de respondentes. Após a aplicação dos questionários e análise dos dados, verificou-se que a média mais baixa, numa escala de 1 a 5 pontos, foi de 2,3 na dimensão “estado de conservação da calçada”. Identificou-se também que o motivo pelo qual o pedestre caminha pela região selecionada é a falta de estacionamentos e também para realizar exercício físico. Este relato contribui para que outros estudos sejam realizados em outras regiões da cidade, visto que não é só a região central que carece de calçadas conservadas e espaços adequados para o pedestre.

Downloads

Publicado

25-03-2020

Como Citar

VIECELLI, K. R. Avaliação da mobilidade a pé: A percepção do pedestre nas vias da cidade de Cascavel. Revista Competitividade e Sustentabilidade, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 136–149, 2020. DOI: 10.48075/comsus.v7i1.21084. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/comsus/article/view/21084. Acesso em: 21 out. 2021.