A FORMAÇÃO CONTINUADA NO PACTO PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA (PNAIC)

Autores

  • Susana Vera Basso

DOI:

https://doi.org/10.48075/rfc.v18i28.15880

Resumo


Nos últimos anos, ampliaram-se os programas de formação continuada de professores, contudo, os índices que medem a aprendizagem da leitura e da escrita ainda mostram a baixa qualidade da educação. Tratar do problema da qualidade precária da alfabetização no país abrange a questão de em que medida a formação do professor implica os resultados dos processos de ensino e aprendizagem. Assim, neste texto, temos o objetivo de discutir, a partir de referencial crítico, as metodologias de formação continuada clássicas e as denominadas em contexto, para apresentar seus potenciais e limites e relacionar à análise da metodologia proposta no Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). A partir de revisão teórico-bibliográfica e pesquisa em documentos do PNAIC, as análises mostram que o programa corresponde às metodologias clássicas de formação, realizadas pelo sistema de multiplicadores, estratégia que não considera as necessidades reais de formação nas escolas, mediante problematização e análise crítica da prática alfabetizadora.  

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

BASSO, S. V. A FORMAÇÃO CONTINUADA NO PACTO PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA (PNAIC). Revista Faz Ciência, [S. l.], v. 18, n. 28, p. 84, 2000. DOI: 10.48075/rfc.v18i28.15880. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/15880. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos