DESIGUALDADES SOCIOESPACIAIS INTRAURBANA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DE TRÊS CIDADES MÉDIAS – Uberlândia, São José do Rio Preto e Presidente Prudente

Autores

  • Alexandre Bergamin VIEIRA

DOI:

https://doi.org/10.48075/geoq.v4i1.4461

Resumo


O reconhecimento das desigualdades sociais como uma questão urbana não é uma idéia recente. Os contrastes sociais marcados pela enorme distância entre os ricos e os pobres serviram de realidade empírica para as primeiras análises da desigualdade social gerada pelo desenvolvimento do capitalismo, demonstrando que esse espaço se constrói e se reproduz de forma desigual e contraditória e que a desigualdade espacial é produto e produtora da desigualdade social. Portanto, reflexo das relações sociais desse modo de produção, as cidades irão apresentar, de forma cada vez mais intensa, as desigualdades e as diferenciações entre as classes sociais, com influências diretas no território produzido e apropriado pelas diferentes classes sociais. Assim, buscaremos neste texto realizar uma breve discussão de como as desigualdades socioespaciais e a exclusão social estruturam o espaço intra-urbano de três cidades médias brasileiras, caracterizadas como cidades de primeiro mundo e de melhor qualidade de vida.

Downloads

Publicado

31-01-2011

Como Citar

VIEIRA, A. B. DESIGUALDADES SOCIOESPACIAIS INTRAURBANA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DE TRÊS CIDADES MÉDIAS – Uberlândia, São José do Rio Preto e Presidente Prudente. Geografia em Questão, [S. l.], v. 4, n. 1, 2011. DOI: 10.48075/geoq.v4i1.4461. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/geoemquestao/article/view/4461. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos