A EXPANSÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR E DO SEU OUTRO

Autores

  • Cláudia Marques ROMA

DOI:

https://doi.org/10.48075/geoq.v4i1.4570

Resumo


No contexto da agricultura, a reestruturação produtiva do capital possibilita que ramos com maior composição orgânica de capital, como o setor sucroalcooleiro se territorialize alterando padrões preexistentes, introduzindo transformações locais e regionais e aprofundando as desigualdades socioespaciais. A agricultura científica além de fragmentar o espaço agrícola, modifica a estrutura fundiária e a utilização das terras, altera a quantidade produzida de produtos alimentícios, rebatendo negativamente na estrutura familiar camponesa, expulsa os camponeses de suas terras, intensifica os fluxos migratórios, introduz formas regressivas de relações de trabalho, e transforma os pares dialéticos rural/urbano em uma tríade rural/urbano/agrícola. Portanto, a agricultura científica globalizada, identificada neste contexto, com o setor sucroalcooleiro, gera o seu outro, que é a expansão da exclusão social, da pobreza urbana, da desterritorialização e expropriação. Assim os problemas apresentados são agrários, gerados pelo modelo de produção adotado, mas que passam a ser, também, questões urbanas. Ou seja, na contemporaneidade podemos dizer que o problema urbano é um problema agrário e vice-versa.

Downloads

Publicado

09-02-2011

Como Citar

ROMA, C. M. A EXPANSÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR E DO SEU OUTRO. Geografia em Questão, [S. l.], v. 4, n. 1, 2011. DOI: 10.48075/geoq.v4i1.4570. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/geoemquestao/article/view/4570. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos