ACONTRADITÓRIA RELAÇÃO SOCIEDADE-NATUREZA EM ESPAÇOS TERRITORIAIS PROTEGIDOS - MATA DO JUNCO, CAPELA/SE

Autores

  • Judson Augusto Oliveira MALTA
  • Heloisa Thaís Rodrigues de SOUZA
  • Rosemeri MELO e SOUZA

DOI:

https://doi.org/10.48075/geoq.v4i1.4736

Resumo


Resumo: Os espaços territoriais protegidos são uma estratégia de conservação difundida em todo mundo. A construção histórica deste conceito está atrelada às demandas provenientes da relação sociedade-natureza em cada momento histórico. Neste sentido, o presente artigo tem por objetivo estudar a relação sociedade-natureza no espaço territorial protegido do Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco (RVSMJ) Capela/SE. Para tanto, faz necessário observar a algumas mudanças no conceito de natureza ao longo da história, e ainda observar, como o modo de produção capitalista através do conceito clássico de natureza legitima o afastamento sociedade-natureza dentro da lógica de apropriação tanto para a sobrevivência como para o lucro. Neste sentido, a fim de estudar a relação sociedade-natureza no RVSMJ foi realizado um amplo levantamento bibliográfico acerca da realidade local, também foram utilizadas técnicas de geoprocessamento como a fotointerpretação e de campo com a utilização de GPS a fim de construir a carta de vegetação e uso do solo do RVSMJ e realizar um levantamento dos impactos socioambientais neste espaço territorial protegido.

Downloads

Publicado

01-03-2011

Como Citar

MALTA, J. A. O.; SOUZA, H. T. R. de; MELO E SOUZA, R. ACONTRADITÓRIA RELAÇÃO SOCIEDADE-NATUREZA EM ESPAÇOS TERRITORIAIS PROTEGIDOS - MATA DO JUNCO, CAPELA/SE. Geografia em Questão, [S. l.], v. 4, n. 1, 2011. DOI: 10.48075/geoq.v4i1.4736. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/geoemquestao/article/view/4736. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos