COOPERATIVISMO(S) BRASILEIRO: HIBRIDISMO E CONTRADIÇÕES NA CAMINHADA DAS COOPERATIVAS

Autores

  • Rosane Calgaro

DOI:

https://doi.org/10.48075/gdemrevista.v2i2.16170

Palavras-chave:

Estado. História. Vertentes cooperativistas. Representatividade.

Resumo


Tendo por base elementos do contexto histórico e social envolvido na emergência das cooperativas no Brasil, este artigo descreve a trajetória cooperativista nacional. Nesse sentido procura evidenciar as diferentes nuances do cooperativismo, as principais características de surgimento e direcionamento tomado por estas organizações. Na contramão de estudos norteados pelo objetivismo, que apresentam uma interpretação unilateral sobre o tema, esta análise, baseada em pesquisa bibliográfica de caráter histórico contextualizado, revela a presença de contradições, diversidade e complexidade na caminhada das cooperativas brasileiras. Destaca-se o fato das cooperativas, que na essência se caracterizam como sociedades de pessoas, estarem aderindo aos modelos e ferramentas da perspectiva dominante das organizações de caráter burocrático.

Downloads

Publicado

31-01-2017

Como Citar

CALGARO, R. COOPERATIVISMO(S) BRASILEIRO: HIBRIDISMO E CONTRADIÇÕES NA CAMINHADA DAS COOPERATIVAS. Gestão e Desenvolvimento em Revista, [S. l.], v. 2, n. 2, p. p. 100–112, 2017. DOI: 10.48075/gdemrevista.v2i2.16170. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gestaoedesenvolvimento/article/view/16170. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos