A QUESTÃO MINERAL E OS ÍNDICES DO IDH-M E GINI NOS ESTADOS DO PARÁ E MINAS GERAIS: UMA ABORDAGEM COMPARATIVA

Autores

  • Loyslene De Freitas Mota
  • Tiago Soares Barcelos Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

DOI:

https://doi.org/10.48075/gdemrevista.v4i2.20002

Palavras-chave:

Mineração, Desenvolvimento Humano, Desigualdade, Economia Regional

Resumo


O presente trabalho tem como escopo a análise dos índices de desenvolvimento humano (IDH) e desigualdade (GINI) em municípios dos Estados de Minas Gerais e Pará, que possuem a mineração como sua principal atividade econômica. Foi elaborado com dados do IBGE e Datasus, fazendo uma comparação crítica entre os valores observados. Ao longo do trabalho ficou evidenciado que mesmo o Estado do Pará arrecadando mais recursos do CFEM, possui em termos absolutos piores índices que os municípios de Minas Gerais. Percebe-se ao longo do trabalho que aos municípios que os IDH-M mais elevados nem sempre são acompanhados por melhoras nos índices de desigualdade (GINI). Por fim, observou-se que tal atividade não vem apresentando melhoras significativas para as populações do seu entorno, apresentando alta externalidade negativa e criando uma economia de enclave que este setor apresenta nos municípios estudados. Torna-se assim, de fundamental importância um debate amplo sobre qual modelo mineral atende os anseios da sociedade brasileira.

Downloads

Publicado

30-01-2019

Como Citar

MOTA, L. D. F.; BARCELOS, T. S. A QUESTÃO MINERAL E OS ÍNDICES DO IDH-M E GINI NOS ESTADOS DO PARÁ E MINAS GERAIS: UMA ABORDAGEM COMPARATIVA. Gestão e Desenvolvimento em Revista, [S. l.], v. 4, n. 2, p. p. 19–35, 2019. DOI: 10.48075/gdemrevista.v4i2.20002. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gestaoedesenvolvimento/article/view/20002. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos