SUSTENTABILIDADE EM GRANJAS SUINÍCOLAS DA REGIÃO DE SÃO LOURENÇO DO OESTE - SC

Autores

  • Mauro Lizot Universidade Tecnológica Federal do Paraná -UTFPR
  • Daniel Garibaldi Unochapecó
  • Silvana Dalmutt Krüger Unochapecó
  • Sergio Murilo Petri Universidade Federal de Santa Catarina
  • Alfred Douglas Drahein Universidade Tecnológica Federal do Paraná -UTFPR

DOI:

https://doi.org/10.48075/gdemrevista.v4i2.20973

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Suinocultura, Indicadores de sustentabilidade

Resumo


Este artigo analisou por meio de um estudo multicasos 6 granjas de produção de suínos com objetivo de identificar o nível de sustentabilidade da produção suinícola em granjas produtoras de suínos da região de São Lourenço do Oeste – SC. Para tanto, aplicou-se um questionário com 35 perguntas para 6 proprietários do município, as perguntas levaram em consideração as identificações dos respondentes, os indicadores Político Espacial, indicador Econômico Social e o indicador Ambiental. A pontuação da pesquisa teve uma classificação muito baixa, os proprietários não mantem suas granjas em conformidade com a legislação. O processo de controle de custos e os gastos também não são organizados, também não há controle de perdas e ganhos. É possível perceber que o melhor desempenho é da empresa “C” tendo em seu somatório uma pontuação de 6,39 pontos, e o pior desempenho é a granja “D” com 2,92 pontos.  Os resultados indicam, de modo geral, falta de conhecimento nas práticas e nas normas contábeis, apesar de todas as 6 granjas reaproveitarem os dejetos da melhor forma possível, por outro lado os indicadores políticos espaciais e os indicadores econômicos sociais estão bem abaixo do normal sendo necessárias melhorias nestes aspectos.

Biografia do Autor

Mauro Lizot, Universidade Tecnológica Federal do Paraná -UTFPR

Doutorando em Engenharia de Produção (PPGEP), na UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus de Ponta Grossa, Mestre em Engenharia de Produção e Sistemas (PPGEPS), na UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Pato Branco (2016), com linha de pesquisa em Gestão de Custos e Modelos de Tomada de Decisão para o agronegócio. Especialização em Métodos de Melhoria da Produtividade, Engenharia da Produção pela UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2011), Disciplinas de Formação para o Magistério Superior pela UNOCHAPECÓ - Universidade Comunitária Regional de Chapecó (2008), Pós graduado com o curso de Especialização em Gestão Contábil e Financeira, pela UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2007), Graduado em Ciências Contábeis pelo UNICS - Centro Universitário Diocesano do Sudoeste do Paraná (2006). Atua com Gestão de Custos em empresa privada, e no ensino superior como professor universitário. Com experiência em gestão de custos industriais e no agronegócio familiar, com vistas na sustentabilidade.

Daniel Garibaldi, Unochapecó

Bacharel e Ciências Contábeis pela Unochapecó.

Silvana Dalmutt Krüger, Unochapecó

Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (2000), Pós-Graduação em Gerência da Qualidade dos Serviços Contábeis (2002) e Contabilidade Gerencial Estratégica (2010). Mestra em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC (2012) e Doutora em Contabilidade pela UFSC (2017). Com experiência profissional nas áreas Administrativa e Gerencial. Atua na graduação como docente na graduação de Ciências Contábeis, e em cursos de pós-graduação lato sensu em disciplinas de Contabilidade Gerencial, Controladoria, Responsabilidade Social Corporativa, Sustentabilidade, Contabilidade Societária com ênfase em Ativos Biológicos. Professora do programa de mestrado em Ciências Contábeis e Administração da Unochapecó. Participante dos Grupos de Pesquisa Controle de Gestão e Desenvolvimento (Unochapecó) e do Grupo Contabilidade, Organizações e Sociedade (Unochapecó).

Sergio Murilo Petri, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Itajaí (1997), mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina e professor do Programa de Mestrado em Contabilidade (PPGC/UFSC). Também atua como professor de Cursos de Especialização e de MBA, por várias instituições no Brasil. Referee da Revista Contemporânea de Contabilidade (Florianópolis) (1807-1821). Tem experiência na área de Ciências Contábeis e Administração, com ênfase em Avaliação de desempenho Organizacional, atuando principalmente nos seguintes temas: Contabilidade, Contabilidade Gerencial. Metodologia Multicritério de Apoio à Decisão - MCDA-C, Balanced Scorecard - BSC, Avaliação de desempenho, Planejamento Estratégico e Planejamento tributário. Participante do Grupo de Pesquisa Gestão Pública e Avaliação de Desempenho.

Alfred Douglas Drahein, Universidade Tecnológica Federal do Paraná -UTFPR

Graduação em Administração. Atualmente faz pós-graduação em Gestão Escolar na Universidade Positivo

Downloads

Publicado

30-01-2019

Como Citar

LIZOT, M.; GARIBALDI, D.; KRÜGER, S. D.; PETRI, S. M.; DRAHEIN, A. D. SUSTENTABILIDADE EM GRANJAS SUINÍCOLAS DA REGIÃO DE SÃO LOURENÇO DO OESTE - SC. Gestão e Desenvolvimento em Revista, [S. l.], v. 4, n. 2, p. p. 117–132, 2019. DOI: 10.48075/gdemrevista.v4i2.20973. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gestaoedesenvolvimento/article/view/20973. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos