AGENTES E INTELECTUAIS ÉTNICOS ENTRE OS POLONESES

Regina Weber

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar diferentes modos de ação étnica, a partir de estudos e registros documentais sobre grupos de imigrantes e descendentes poloneses no sul do Brasil, acompanhando os efeitos das contingências do Estado polonês sobre os emigrados. Inicialmente são analisados os conflitos entre lideranças políticas e religiosas, especialmente os vicentinos, nas primeiras décadas do século XX, e o papel dos representantes consulares. Paralelamente é destacada a presença de “agentes étnicos” e “intelectuais étnicos”, tanto laicos como religiosos, os quais, a partir de meados da década sessenta, convergiram para uma ação conjunta. 

Texto completo:

PDF


Direitos autorais