AS NEGRAS QUITANDEIRAS NO RIO DE JANEIRO DO SÉCULO XIX PRÉ-REPUBLICANO: MODERNIZAÇÃO URBANA E CONFLITO EM TORNO DO PEQUENO COMÉRCIO DE RUA

Autores

  • Fernando Vieira de Freitas

DOI:

https://doi.org/10.36449/rth.v20i1.13837

Resumo


O projeto de modernização do Rio de Janeiro durante o século XIX teve como uma de suas características mais marcantes o aprimoramento da estrutura de controle e regulação do pequeno comércio de rua. Especialmente afetada por esse processo, a comunidade negra, escrava ou livre, que praticava a venda à varejo nas ruas da cidade, passara a ser alvo das imposições da cidade moderna. Entre estes comerciantes estavam as quitandeiras, mulheres negras que vendiam gêneros alimentícios pelas nas ruas e áreas centrais da cidade. Observando a relação entre modernidade e conflito, este artigo analisa algumas disputas pela ocupação do espaço público, e a participação das quitandeiras nestes litígios. Argumentamos que o processo de modernização da cidade ocorreu com diversos conflitos que envolveram diretamente a população negra da cidade.

Downloads

Publicado

11-07-2016

Como Citar

DE FREITAS, F. V. AS NEGRAS QUITANDEIRAS NO RIO DE JANEIRO DO SÉCULO XIX PRÉ-REPUBLICANO: MODERNIZAÇÃO URBANA E CONFLITO EM TORNO DO PEQUENO COMÉRCIO DE RUA. Tempos Históricos, [S. l.], v. 20, n. 1, p. 189–217, 2016. DOI: 10.36449/rth.v20i1.13837. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/13837. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático