EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

Autores

  • Lilliane Renata Defante Universidade Católica Dom Bosco https://orcid.org/0000-0002-1635-0334
  • Olivier Vilpoux Universidade Católica Dom Bosco
  • Leandro Sauer Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.48075/igepec.v22i1.17667

Palavras-chave:

Desenvolvimento Rural, Agronegócio, Agroindústria canavieira.

Resumo


A pesquisa analisou a expansão da cana-de-açúcar no Brasil e no Mato Grosso do Sul. Foram utilizados dados de revisão bibliográfica e consultas em bases de dados, como o SIDRA_IBGE e o SIGAMS, página da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul. A área plantada cresceu 500% entre 2004 e 2014. A expansão da cana-de-açúcar aconteceu em áreas antes ocupadas pela pecuária e pode ser explicada pela escassez de terra nas principais regiões produtores de cana e a disponibilidade de terra no estado. Mais de 75% da cana-de-açúcar processada pelas 22 usinas do estado vai para etanol. A agroindústria canavieira contribuiu para a modernização da agricultura do estado. Para se manter competitivas, as culturas de milho e soja aumentaram suas produtividades de 13,4% e 6%, respectivamente, entre 2006 e 2015 e o número de bois abatidos aumentou 6%, enquanto a área diminuiu 8,14%.

Biografia do Autor

Lilliane Renata Defante, Universidade Católica Dom Bosco

Professora Substituta na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Aquidauana, no curso de Administração. Doutora em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária pela Universidade Católica Dom Bosco (11/2016). Área de concentração: Sustentabilidade Ambiental e Produtiva. Mestre em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul pelo Departamento de Economia e Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (DEA-UFMS).(2013). Área de Concentração: Agronegócios. Graduada em Administração pelo Departamento de Economia e Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (DEA-UFMS). Área de interesse de pesquisa: Marketing, Comportamento do consumidor, importância evolutiva do uso da terra. Celular (67) 9 9927-9537

Olivier Vilpoux, Universidade Católica Dom Bosco

Possui graduação em Engenharia agrônomica no Institut Supérieur Dagriculture (1991), na França, mestrado em Administração no Institut de Gestion Internationale en Agro Alimentaire (1992) e doutorado em Administração no Institut National Polythecnique de Lorraine (1997). Atualmente é professor pesquisador da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Professor do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Local (UCDB) e do Doutorado em Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Possui experiência na área de Administração, com ênfase em Desenvolvimento Local e sustentabilidade agrópecuária. Atua principalmente nos seguintes temas: sistemas, instituições informais e custos de transações, mercados e agricultura familiar.

Leandro Sauer, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Matemática pela UFMS (1988), Aperfeiçoamento em Estatistica Matemática pelo IMPA-RJ (1991), mestrado em Engenharia Elétrica pela PUC-Rio (1992), doutorado em Engenharia Elétrica pela UNICAMP (2003) e Pós-doutorado em Administração pela FEA-USP (2015). Coordenador do curso de Administração da UFMS (2005-2007), chefe do Departamento de Economia e Administração (2007-2008) e Pró-Reitor de Ensino e Graduação da UFMS (2009). Atualmente é professor associado da ESAN/UFMS e professor do Programa de Pós-graduação em Administração da UFMS. Tem experiência na área de Economia e Administração, com ênfase em Métodos Quantitativos, Modelos Econométricos e Estatísticos e Analise Multivariada, atuando principalmente nos seguintes temas: exclusão social e uso de indicadores sintéticos na definição e acompanhamento de politicas publicas.

Downloads

Publicado

03-07-2018

Como Citar

DEFANTE, L. R.; VILPOUX, O.; SAUER, L. EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL. Informe GEPEC, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 150–169, 2018. DOI: 10.48075/igepec.v22i1.17667. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/17667. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos