BIODIVERSIDADE COMO SUSTENTABILIDADE: PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC) NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

Autores

  • Mariana Grisa Simonetti UNIOESTE
  • Luciana Oliveira de Fariña

DOI:

https://doi.org/10.48075/ijerrs.v2i1.26012

Resumo


Trata-se de um artigo de revisão bibliográfica que aborda a importância de mercados alternativos que possibilitem a construção da sustentabilidade no sistema agroalimentar atual, partindo de políticas públicas como o Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Seu objetivo é verificar a possibilidade de inclusão de Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) na alimentação escolar. Neste contexto, o artigo discute as inter-relações com a agricultura familiar e com os circuitos locais de comercialização e a valorização da biodiversidade na alimentação. Como resultado tem que, a aproximação da agricultura familiar de programas caracterizados pelo consumo regular de alimentos, como o PNAE, pode ser uma alternativa viável para dar sustentabilidade à produção e aos produtores, valorizando as práticas agroalimentares locais e os cultivos diversificados. Recomenda-se a realização de estudos que avaliem como se dá a inclusão das PANC no PNAE no sentido da estruturação desse sistema sustentável de produção e distribuição de alimentos.

Downloads

Publicado

01-06-2020

Como Citar

SIMONETTI, M. G.; FARIÑA, L. O. de. BIODIVERSIDADE COMO SUSTENTABILIDADE: PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC) NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. International Journal of Environmental Resilience Research and Science, [S. l.], v. 2, n. 1, 2020. DOI: 10.48075/ijerrs.v2i1.26012. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/ijerrs/article/view/26012. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos