Toponímia oficial e toponímia espontânea nos nomes de escola de Missal- PR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/odal.v0i0.25742

Palavras-chave:

Toponímia oficial, Toponímia Espontânea, Escolas

Resumo


A linguagem permite ao homem ordenar e significar o mundo a sua volta, a partir dela podemos nomear a realidade e atribuir significado àquilo que vivenciamos. A linguagem é utilizada em cada comunidade de maneira a representar a realidade local. Dessa forma, as organizações sociais nomeiam os elementos a fim de representar aquilo que vivenciam, imprimindo, nos nomes, indícios de suas histórias, culturas e fatos sociais. Este trabalho tem como objetivo apresentar resultados parciais da pesquisa de iniciação cientifica a qual procura discutir e analisar processos de nomeação das escolas do município de Missal-PR, este estudo é inédito na área onomástica. Neste artigo busca-se examinar topônimos oficiais e espontâneos atribuídos as escolas do município em estudo. O corpus deste trabalho foi formado por nomes de nove escolas, o município tem, ao todo, quinze escolas. Uma das escolas cujos nomes se analisam neste artigo está localizada no centro da cidade, sendo projetada para estar próxima a igreja, e as outras oito escolas estão localizadas no interior do município, duas em distritos e as outras em vilas e comunidades. Utilizou-se de uma investigação documental para alcançar o objetivo proposto a saber conhecer as motivações toponímicas dos nomes das escolas, levando em consideração as influências históricas, culturais e ideológicas que influenciaram na escolha desses nomes, como suporte teórico valeu-se das contribuições toponímicas de Dick (1992) e Bastiani (2016).

Palavras chaves: Toponímia oficial; Toponímia Espontânea; Escolas.

 

Biografia do Autor

Bruna Junges, Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Brasil

Graduanda do curso de Letras, Português/Espanhol na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, atualmente é estagiária da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Possui experiência na área de docência - Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental.

Referências

Academia Brasileira de Letras. (2020) Joaquim Nabuco. Biografia. Disponível em: https://www.academia.org.br/academicos/joaquim-nabuco/.biografia Acesso em 27, agosto, 2020.

Almanaque Alagoas. (2020).Disponível em: http://www.almanaquealagoas.com.br/noticias/?vCod=1561). Acesso em 24, agosto, 2020.

Bastiani, Carla (2016). Relações entre nome e lugar: estudo dos nomes das escolas públicas de Porto Nacional em uma perspectiva interdisciplinar da Geografia e da Toponímia. Dissertação (Mestrado Acadêmico) – Universidade Federal do Tocantins – Campus Universitário de Araguaína – Curso de Pós-Graduação (Mestrado) em Letras Ensino de Língua e Literatura.

Dick, Maria Vicentina de Paula do Amaral (1992). Toponímia e Antroponímia no Brasil: Coletânea de estudos. São Paulo: Arquivo do Estado.

Enciclopédia Britânica, (2020). Disponível em: https://escola.britannica.com.br/artigo/olavo-bilac/483115). Acesso em 27, agosto, 2020.

Hamzeh,F.; Gheshlagni, H.S.G.;Mortezaei, S. (2014).Study of the Status of Non-Official Geographical Names in Spatial Identity of Hamadan City. Research on Humanities and Social Sciences, v.4.n.2, p.163-169.

Isquerdo, A.N; Dargel, A. P.T P. (2014) (2014) “Apontamentos sobre os designativos de acidentes humanos rurais no estado de Mato Grosso do Sul”. In As Ciências do Léxico. Lexicologia. Lexicografia. Terminologia, vol.VIII. ISQUERDO, A.N. DAL CORNOR, G.O.M. (orgs).Campo Grande: Editora UFMS, 91-110.

Isquerdo, A.N; Dargel, A. P.T P. (2014) "Hidronímia e toponímia: interinfluências entre meio ambiente e história”. In As Ciências do Léxico. Lexicologia. Lexicografia. Terminologia, vol. VII ISQUERDO, A.N. DAL CORNOR, G.O.M. (orgs). Campo Grande: Editora UFMS, 63-80.

Klauck, S. (2004) Gleba dos Bispos. Colonização no Oeste do Paraná - uma experiência católica de ação social. Porto Alegre, RS: EST Edições.

López Franco, Yolanda G. (2020). Las relaciones intercategoriales e intracategoriales en antroponimia. El caso de los nombres de pila en francés de Francia y en español de México. Onomástica Desde América Latina, n.1, v.1, 2020, p. 214 –239. Disponível em < http://e-revista.unioeste.br/index.php/onomastica/issue/view/1139 > Acesso em 12 agosto 2020. https://doi.org/10.48075/odal.v1i1.24169

Lunkes, G. (2005) Missal tem muito futuro neste passado. 1. ed. Marechal Cândido Rondon, PR: Germânica.

Oliveira, L.R.de, Isquerdo|, A. (2019) Toponímia rural de acidentes humanos do Mato Grosso do Sul. GTLex, vol. 3, n.1| jul.–dez. 2017, p.58-77.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Municipal Joaquim Nabuco (Documento disponível na unidade escolar) 2019.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Municipal Olavo Bilac (Documento disponível na unidade escolar) 2019.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Colégio Estadual Padre Eduardo

Michelis (Documento disponível na unidade escolar) 2019.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Municipal Antônio Raposo Tavares (Documento disponível na unidade escolar) 2019.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Colégio Estadual do Campo Teotônio Vilella (Documento disponível na unidade escolar) 2019.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Estadual Do Campo Aurélio Piloto. Secretaria de Educação, 2020. Disponível em:<http://www.mlwaureliopiloto.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1>. Acesso em: 22, maio, 2020.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Estadual Caetano de Conto. Secretaria da Educação, 2020. Disponível em: <http://www.mlwcaetanoconto.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=15> Acesso em: 22, maio, 2020.

PROJETO POLÍTICO E PEDAGÓGICO. Escola Estadual Santos Dumont. Secretaria de Educação, 2020. Disponível em: <http://www.mlwsantosdumont.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=13> Acesso em: 22 de maio, 2020.

Reyes Contreras. M. (2020) Sobre antroponimia en las calles de Santa Fe, Nuevo México. Onomástica Desde América Latina, n.2, v.1, 2020, p.120-143. ISSN 2675-2719. Disponível em<http://e-revista.unioeste.br/index.php/onomastica/article/view/25487> Acesso em 06 outubro 2020.https://doi.org/10.48075/odal.v1i2.25487

Seide, M.S. Toponomástica e Antroponomástica: paradigmas e métodos. Confluência, n.44-45, p.165-184, 2013.

Downloads

Publicado

18-12-2020

Como Citar

JUNGES, B. Toponímia oficial e toponímia espontânea nos nomes de escola de Missal- PR. Onomástica desde América Latina, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 132–152, 2020. DOI: 10.48075/odal.v0i0.25742. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/onomastica/article/view/25742. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Trabalhos