CONSIDERAÇÕES SOBRE A POESIA DE JÚLIA DA COSTA: O CÂNONE LITERÁRIO E O SILENCIAMENTO IMPOSTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v17i29.26107

Palavras-chave:

Cânone literário, Silenciamento, Poesia brasileira, Romantismo, Júlia da Costa.

Resumo


Este artigo discute a permanência e manutenção do cânone literário do século XIX, considerando-se o silenciamento que tal instituição gerou a autoras/es e obras, tendo como foco, especialmente, a obra da poeta paranaense Júlia da Costa (1844-1911). Para tanto, tomamos como aporte as discussões acerca do silêncio imposto (SONTAG, 2015) e das políticas de silenciamento (ORLANDI, 1997); as considerações sobre o cânone literário (CUNHA, 1999; BONNICI, 2011); e as teorias que amparam a leitura e a crítica do texto poético (PAZ, 2012; MOISÉS, 1989; CICERO, 2017), refletindo, assim, sobre os aspectos do Romantismo (GINSBURG, 1985; DUARTE, 2011) na produção em poesia da autora em foco.

Biografia do Autor

Cleber da Silva Luz, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Mestrando em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (PLE/UEM). Graduado em Letras pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR/Campo Mourão).

Sandro Adriano da Silva, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR)

Professor de Teoria Literária e Literatura brasileira na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR/Campus de Campo Mourão). Doutorando em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Downloads

Publicado

02-07-2021

Como Citar

LUZ, C. da S.; SILVA, S. A. da. CONSIDERAÇÕES SOBRE A POESIA DE JÚLIA DA COSTA: O CÂNONE LITERÁRIO E O SILENCIAMENTO IMPOSTO. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 17, n. 29, p. 153–174, 2021. DOI: 10.48075/rlhm.v17i29.26107. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/26107. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

PESQUISA EM LETRAS NO CONTEXTO LATINO-AMERICANO E LITERATURA, ENSINO E CULTURA