TEMPOS DE MULHERES: UTOPIAS E DISTOPIAS FEMINISTAS NA LITERATURA E HISTÓRIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v17i30.28000

Palavras-chave:

Literatura, História, Distopia, Utopia, Feminismo.

Resumo


Com base nas leituras de Virginia Woolf, Rita Schmidt, Zahidé Muzart e Ildney Cavalcanti, este artigo tem como objetivo explorar aspectos referentes à escrita e publicação de obras de autoria feminina entre os séculos XIX e XX. Assim como compreender as nuances que envolvem o estigma do gênero literário romance e a presença e ausência de mulheres no cânone literário.  A partir destas leituras, buscamos situar no tempo as obras de escritoras como Emília de Freitas, Charlotte Perkins Gilman, Margaret Atwood e Octavia Butler, analisando suas visões de futuro e deslugares possíveis ou impossíveis, a partir do fio condutor entre literatura, história do feminismo e teoria da história.

Biografia do Autor

Danielle Santos Dornelles, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda em História Global pelo Programa de Pós-Graduação em História da UFSC (PPGH/UFSC), bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Bacharela e licenciada em História pela UFSC (2017).

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

SANTOS DORNELLES, D. TEMPOS DE MULHERES: UTOPIAS E DISTOPIAS FEMINISTAS NA LITERATURA E HISTÓRIA. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 17, n. 30, p. 223–235, 2022. DOI: 10.48075/rlhm.v17i30.28000. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/28000. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ: FEMINISMOS E LITERATURAS