AUDRE LORDE: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA EPISTEMOLOGIA DA CRÍTICA FEMINISTA À LITERATURA LÉSBICA NEGRA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v17i30.28049

Palavras-chave:

Audre Lorde, crítica feminista, literatura lésbica negra

Resumo


Este artigo explora a possibilidade da construção de uma epistemologia para a crítica feminista à literatura lésbica negra através de Audre Lorde. A partir das contribuições de Elaine Showalter, Adrienne Rich e Conceição Evaristo, exploro as ideias da zona selvagem, do sonho de uma língua em comum, do continuum lésbico e da escrevivência, alinhando esses conceitos ao que foi escrito por Audre Lorde em ensaios escritos na década de 1970. Nesse sentido, discuto a ideia do erótico como potência para a escrita e a escrevivência como estratégia de esperança. Essas ideias são importantes para a construção de uma epistemologia da literatura lésbica negra, que, assim como Audre Lorde fez em sua obra, alinhe a vida à escrita e a teoria à poesia. 

Biografia do Autor

Alina Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), bolsista FAPESC. Graduada em Bacharelado e Licenciatura em História pela mesma instituição. (UFSC). É vinculada ao Laboratório de Estudos de Gênero e História (LEGH/UFSC). E-mail:  alinanunes2@gmail.com

Downloads

Publicado

01-02-2022

Como Citar

NUNES, A. AUDRE LORDE: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA EPISTEMOLOGIA DA CRÍTICA FEMINISTA À LITERATURA LÉSBICA NEGRA. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 17, n. 30, p. 159–175, 2022. DOI: 10.48075/rlhm.v17i30.28049. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/28049. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ: FEMINISMOS E LITERATURAS